Rotinas, horários, agendas, despertadores…

Dias iguais, vidas automáticas, tarefas rotineiras, gestos mecânicos…

Quem não está farto?

Levamos semanas nisto e são, por vezes, os momentos como o Halloween que ajudam a quebrar o ritmo, a conviver, a partilhar vivencias, a puxar da máquina fotográfica e a assinalar momentos.
 
Às vezes sabe bem fugir da rotina, mesmo que por umas horas, não é? 

Quando o Lidl me desafiou a celebrar o Halloween aceitei com curiosidade e alguma expectativa, não adoro a data, já expliquei que a assinalamos somente desde que somos pais, mas sabe bem fazer algo diferente, sobretudo quando se tem um filho pequeno em casa curioso com a vida que o rodeia e que gosta de atividades. 
Neste tipo de desafios a minha mente inquieta rapidamente passa de entusiasmada q.b a party planner. Acontece o mesmo com os anos do Duarte, com meses de antecedência já tenho tudo esquematizado. Este ano vou-me poupar a uma festa grande, até porque me costumo enfiar horas na cozinha e a barriga já não o vai permitir, mas já tem tema escolhido por ele e alguma coisa hei de fazer. 
E vocês pensam: então, mas já celebram o Halloween? Sim, já que só estamos em casa juntos ao fim de semana com tempo útil para ser aproveitado decidimos antecipar as festividades e fazê-lo domingo. Além disso, a vontade de atacar as bombocas, as pipocas e as bolachas já era muita e, por isso, confecionei um bolinho caseiro e fizemos um lanchinho para receber os amigos (avisamo-los para terem cuidado a entrar na mansão do terror). Terça-feira vamos reunir as tropas para jantar com os miúdos depois do trabalho, mas já sabemos que é com tempo contado e que temos que ser rápidos para agir contra o sono.  
Ficam as fotos, para inspirar (até porque hoje ainda devem conseguir encontrar quase tudo em loja) e para mais tarde recordar. 












Que nunca tenhamos medo de rir! 

Beijos pegajosos! 

Fatos e decor: Lidl 


Uma das certezas que a maternidade me tem provado é que tem a capacidade de nos mudar os prismas da vida, levando-nos a gostar de coisas às quais antes nem ligávamos, como o Halloween, que me era totalmente indiferente e a ceder a tantas outras coisas como, por exemplo, ter a TV sempre ligada nos desenhos animados - impensável aceitar isto before the kids

Quando éramos só dois, não tínhamos por hábito assinalar o Halloween, e se "assinalássemos" confesso: era porque calha na véspera de um feriado e motivava uma saída à noite com os amigos. Até... um pequeno ser começar a andar, a falar, ganhar autonomia e personalidade e chegar a casa com vontade de festejar a data à maneira dele com os amigos, primeiro na creche e agora na escola. Ninguém no mundo tem a capacidade de nos dar a volta como os filhos, o coração amolece por eles e quando damos conta estamos no Google a pesquisar ideias, fatos e promoções.

É um pouco isso que tem acontecido nos últimos anos, com um apontamento de Halloween aqui e ali, para não deixar a data em branco. Acredito que em muitas outras casas com crianças o sentimento seja o mesmo, até porque a "noite das bruxas" não é um hábito nosso, simplesmente temos vindo a adoptá-lo com a globalização cultural e a nossa geração de crianças não resiste a uma oportunidade extra para se divertir. E nós pais, queremos é ve-los felizes a aproveita aos melhores anos que têm na vida. Já para não falar que esta data e a forma como trabalhamos as mensagens pode assumir o lado pedagógico de espantar alguns medos comuns da infância.

Este ano, aqui por casa, a celebração vai ser diferente e mais composta. O Lidl desafiou-me a preparar uma festa para o Halloween, e eu, que não fico indiferente a uma  “doçura” ou “travessura”, achei logo que o Duarte ia amar a ideia e aceitei, claro!

Todos os anos o Lidl tem uma coleção exclusiva de produtos para assinalar a data, que não é novidade para mim, pois tenho sido fiel consumidora desde que me encontro neste papel de mãe. A semana passada lançaram as máscaras, perucas e decorações (em breve mostro) e esta semana um sortido alimentar que vai desde massas, chocolates, gomas e pipoca a pizzas, nuggets e iogurtes alusivos ao tema e que ainda podem encontrar à venda. Ou seja, todo o kit necessário para festejar o Halloween com miúdos e graúdos.

Os produtos já moram cá em casa e tem sido difícil mantê-los intactos à curiosidade do Duarte. Resta-me dar largas à imaginação para compor a mesa e garantir um jantar que se pretende um “terror de diversão” para este momento temático em família. Por isso, partilho algumas das minhas ideias, a começar pelo menu, que só precisa de alguma criatividade e truques de cozinha e a terminar na animação.




1. UM MENÚ DE METER MEDO AO SUSTO:

* Sopa Bloody de tomate 
* Múmias de salsichas
* Olhos de almôndegas com massinhas sortidas e ovos podres
* Bundet cake de abóbora com olhos de drácula 
* Espetada de gomas assustadoras
Laranjas recheadas com gelatina e gomas
* Bolachas de Halloween





O truque está na apresentação dos pratos com recurso a alguns truques, como por exemplo, o corante alimentar para criar o efeito podre nos ovos, como podem ver aqui, ou até mesmo o corte dos alimentos para criar formas de aranhas, olhos e outros desenhos sob os alimentos. Os miúdos vão achar divertido e não vão resistir a provar tudo.

Enquanto vou preparar a mesa vou deixar o Duarte decorar as nossas abóboras com stickers de Halloween pois se há actividade que ele gosta de fazer é colaaaar autocolantes em tudo quanto é sitio. Os flurescentes vão ganhar destaque quando ficar escuro...uhhhh!!


2. SESSÃO DE FOTOS CASEIRA


Para mais tarde recordar. Não precisa muita elaboraçao, aqui a imaginação é que dita as regras. Gomas, bolachas, balões, velas, utilizem o que tiverem à mão ou desafiem todos a agarrar num objeto e fazer uma cara feia e tcharam... pelo menos boas gargalhadas vai valer. O cão e o gato também podem entrar.

3. ANIMAÇÃO ASSUSTADORA

E, depois do jantar, que tal lançar sobre a mesa um jogo familiar assombrado por fantasmas? A Devir tem vários jogos divertidos que fazem match com a temática desde os 4 aos 99 anos... é só escolherem o mais adequado. Cá por casa vai ser este: As escadas assombradas (+ 4 anos)!



Quando o sono já estiver a chegar, entra em ação um balde de pipocas e um filme de animaçao assustador, como por exemplo, o Corpse Bride (A noiva cadáver) para concluir a noite dos mais novos.


Por aqui, vamos juntar amigos com filhos e tentar cumprir este plano... se todas as almas deixarem!

E se baterem à porta à procura de "doces ou travessuras", temos as nossas múmias recheadas para dar.

Que tal?

Beijos pegajosos!


Este fim de semana há dois acontecimentos imperdíveis para as mães de Lisboa e arredores:

1) está de volta ao CCB mais um Mercadito da Carlota
2) vai decorrer mais uma edição do OLX Live Market dedicada a crianças e famílias na Avenida da Liberdade

O que esperar em cada um deles?

Sobre o primeiro, que dispensa apresentações pois já vai na 18ª edição, sabemos que podemos contar com todas as marcas que nos inspiram o guarda roupa dos miúdos e com outras pensadas para as mães com propostas já a piscar o olho ao Natal. A blogger Fernanda Velez e mentora do mercadito vai também apresentar o seu 1º livro - Histórias para adormecer - com ilustrações da blogger Violeta Cor de Rosa, já espreitei e parece ser lindo. Pinturas faciais e mascotes vão animar os mais novos enquanto as mães fazem os achados da estação. A entrada custa 2€ e o evento decorre das 10h às 19h, de sábado.

Num registo diferente, mas igualmente dedicado a crianças e famílias, decorre o 4º OLX Live Market na Avenida da Liberdade, junto ao Cinema S. Jorge, que para além de apresentar oportunidades de compra em 2ª mão (quem nunca fez achados no OLX? Eu já), irá também contar com a presença de 11 marcas nacionais: Atelier da Matilde, Avó Galinha, Bastidor Colorido, Love By Mary, Macaquinhos, Mamã Dá Licença, Marias & Maneis, MIM Store, Nitta Kids, Pimpolhos aos Molhos e Matchy Matchy. que vão apresentar saldos de verão e coleções de inverno a preços igualmente competitivos, estive no primeiro e fiz boas compras. A entrada é livre e decorre das 10h às 19h, também de sábado.

Para além de compras para crianças, que podem planear já a pensar no Natal, o OLX irá também organizar uma recolha de bens de 1ª necessidade, destinada às populações que mais sofreram com os últimos incêndios registados em Portugal. A recolha será realizada no mesmo horário do evento, entre as 10h00 e as 19h00, em frente ao Cinema São Jorge. Perguntei à organização qual a lista de bens necessários para quem quiser contribuir:
  • Roupa de cama
  • Roupa de homem
  • Roupa de mulher
  • Roupa de criança
  • Produtos de higiene
Vemo-nos no fim de semana?

Beijos,

Foto credits: Macaquinhos

Boooooooo!

A semana passada comecei a entrar no mood Halloween com o aproximar da data em que os nossos miúdos podem brincar aos medos sem ter medo! É uma celebração que me dizia pouco ou nada até ser mãe e começar ano a ano a ceder ao tema e a entrar no mundo divertido que Halloween pode assumir… além disso, saiu-me um verdadeiro palhaçinho que gosta muito destas coisas (acho que as fotos são evidentes). Não dá para escapar ao tema e confesso que até ajuda a desanuviar da correria das rotinas do dia a dia! Com a maternidade estes dias ganham novas perspetivas.

Por isso, este fim de semana demos inicio aos preparativos para a festinha da escola, no sábado fomos escolher o disfarce e fizemos, à semelhança do ano passado, múmias DIY recheadas para dar aos colegas de turma (podem ver abaixo as fotos do ano passado e o vídeo que fizemos este ano). Na realidade já andávamos a recolher materiais para os gifts desde setembro. 

Este ano, confesso que até estou com vontade de fazer um jantar de Halloween em casa para juntar os amigos chegados com miúdos da idade do Duarte, mas não sei se com a gravidez terei a mesma pedalada, por isso, ainda não me comprometi para depois não falhar ao prometido! 

No que toca a disfarces tento sempre fazer escolhas equilibradas na escolha das peças e nos preços, até porque com eles a crescer já sabemos que só se usa uma vez (ou duas, se fizer o jantar). No entanto, quando entrei na C&A não resisti a escolher os looks abaixo, o primeiro por serem calças do Batman (que ele adora e vai poder usar sempre) com uma camisola “mágica” que deita a língua de fora, e o segundo porque é um pijaminha all-in-one e se é para dormir, pode usar as vezes que quiser sem estar descontextualizado. A verdade, verdadinha é que eu não resisto a macacões e este teve que vir! 

Eis os looks escolhidos:






Por aqui, quase que até tenho vontade de o mandar com o pijama para a escola com o baldinho em forma de abóbora cheio das múmias de gomas para distribuir. Em qual votam? No look Batman Fantasma ou no Pijama Esqueleto?

E agora, querem saber como fazer as múmias para os amiguinhos? É ver o vídeo abaixo!


PS - não se assustem...ele foi invadido por um fantasma ladrão de abóboras....uhhh!


Beijos!


Confesso que a comida é um dos temas mais sensíveis para mim na gravidez, mas irei falar melhor sobre isso mais à frente, com mais calma e menos ansiedade por atacar estas panquecas saudáveis e deliciosas que estão aqui a olhar para mim!  

Antes de engravidar o meu pequeno almoço resumia-se a um skyr ou iogurte natural e um café, não sou pessoa de muito alimento de manhã. No entanto, com o avançar da gravidez comecei a reagir mal aos iogurtes na altura dos enjoos e tive que procurar outras opções igualmente saudáveis e sobretudo saciantes para fugir à tentação das torradas e do chá. Noutro post iremos ao peso, para perceberem a questão do pão, que posso comer, mas evito.

Vai dai, a Raquel pediu opções à Nutricionista Gisela Carrilho, que colabora regularmente aqui no blog e ela apresentou-me algumas receitas de panquecas como alternativa. M-a-r-a-v-i-l-h-a! Têm feito parte dos meus pequenos-almoços várias vezes, chego até a fazer de véspera para levar na marmita para o trabalho, não são a opção mais fácil de pequeno-almoço de secretária, mas deixam-me com o estômago calmo e saciado para enfrentar a manhã de trabalho. Por estas andanças marmiteiras de panquecas em panquecas, comecei a inventar também um bocadinho nos ingredientes até chegar até à “minha” receita de panquecas ideal, que adoro. Além disso  enganam o paladar  pois têm um toque achocolatado que na realidade se deve à farinha de alfarroba. Ideal para gravidinhas, crianças esfomeadas! 

Aqui vai a receita:

Ingredientes:

170 gr de aveia (podem usar em flocos, mas eu reduzo a farinha na velocidade maxima de bimby)
250 ml de leite magro, de soja, de coco, de arroz (o que preferirem)
1 ovo 
1 colher de sobremesa de farinha de Alfarroba

Preparação: 

Podem optar por usar a aveia em flocos ou triturar. Eu reduzo-a a farinha na velocidade máxima na Bimby para fcar mais homogêneo. Juntar os restantes ingredientes e misturar tudo na velocidade 4. Usar uma frigideira anti-aderente para fazer as panquecas.
Servir ainda quentes com fruta a gosto, iogurte ou xarope de Agave. 

Bom apetite! 

Não, ainda não é o momento da revelação, nem ando a empatar para criar suspense, simplesmente a cria resolveu estar todo o tempo de pernas cruzadas na última ecografia que fiz às 15 semanas, a médica deu palpite claro, pressionada por nós, e eu acredito nele, mas como nunca descruzou as pernas preciso de ver para crer antes de dar a notícia. 

Curiosamente este é o detalhe a que menos importância dou na gravidez (só não optei por não saber o sexo desta vez porque sei que não sou inocente ao ponto de olhar para uma ecografia e não perceber), a partir do momento que opto por ter um segundo filho, quero é que ele venha tão bem e tão perfeitinho quanto o primeiro, mas parece ser o detalhe que move todas as restantes pessoas não grávidas que se deparam com a notícia e que não se inibem de exclamar: 

Agora vem uma menina!
Ah, Parabéns! Deus queira que seja menina!
Então, estão a ver se fazem o casal?
Giro, giro era ser uma menina para a embonecares!
Se ainda não deu para ver na Eco é porque é menina!

Raras são as pessoas que perguntam "o que preferias?", "tens alguma inclinação?", "qual é o teu feelling'". Assumem que quem vai ao 2º filho é porque quer variedade sexual e sinto que se sair o cromo repetido é uma chatice, como se só fosse giro ter um casalinho e a hipótese de sair novamente menino fosse um fail. 

Acredito que isto seja exatamente igual quando já se tem uma menina “agora vem o rapaz para compor”.  Mais alguém sentiu isto no segundo filho? 

Beijos,


Não venho aqui falar dos clichês comuns das fotos à barriga mesmo quando ela ainda MAL se nota, mas nós ja achamos que é notório ou da partilha da foto do teste de gravidez com toda a lista de amigas chegadas no whast app, nem das famosas pesquisas no Google para ver se o sintoma x é normal ou não, venho falar de outros hábitos que passam a fazer parte do dia a dia das gestantes deste século! 

1 - Começamos a ver ideias de decoração para o quartinho! Ainda não sabemos o sexo, mas não faz mal, pelo sim pelo não exploramos as duas hipóteses e criamos um álbum secreto no Pinterest para espetar lá todas as 1000 ideias que tirámos, na esperança de baralhar aquilo tudo e sair de lá uma ideia vencedora. 

2 - Juntamo-nos a um grupo secreto no Facebook "as Mamãs de xxxx" e começamos a desbobinar todas as particularidades da nossa gravidez, muitas vezes sem filtro: como e onde foi feito?, quanto tempo demorámos para engravidar?, qual a Dpp (data prevista de parto)?, quais as semanas da gravidez, como andamos de peso, humor, etc, etc. Também é lá que que nos sentimos confortáveis para partilhar as fotos das ecografia, os resultados dos exames e as primeiras fotos à barriga sem ninguém achar aquilo uma seca e um massacre da maternidade. Estamos todas no mesmo mood, tiramos dúvidas, partilhamos estados de espírito, sofremos umas pelas outras, partilhamos alegrias, e é lá que encontramos resposta para a maioria dos nossos "medos" e ansiedades. A Saúde 24 devia pagar uma % a estes grupos, poupam-se muitas chamadas telefónicas e algumas idas às urgência. 

3 - Damos inicio a um vasta e extensa pesquisa sobre as marcas infantis no Facebook e Instagram. Varremos tudo e deixamos like em todas as que gostamos, desde roupinhas, acessórios, marcas de puericultura, chuchas, fraldas, biberons, babetes personalizados, ninhos, fraldas personalizadas, almofadas personalizadas, álbuns de nascimento personalizados, slings, almofadas de amamentação, entre outras. Se for a primeira gravidez começamos a recolher preços de tudo e mais alguma coisa e a compor a lista das necessidades e fazemos efetivamente várias compras, se for a segunda, somos mais ponderadas, fazemos um print screen e guardamos para mais tarde.
 

4 - Tornamo-nos masters em sites online. Criamos wish lists na Amazon.uk, no Ebay, no Aliexpress e comparamos preços. O Aliexpress torna-se o nosso fornecedor das primeiras tralhas, sejam stickers para decorar o quartinho que arriscamos mandar vir pelo preço simbólico sejam babetes ou meias fofas estilo nórdico.

5 - Tiramos fotos às primeiras roupas compradas para os bebés. Para quê? Para partilhar com as amigas chegadas e, claro está, no grupo do Facebook. O nosso telémovel vira um catálogo multimarca de maternidade.  


6 - Damos início ao massacre psicológico dos maridos sobre a questão do quarto e do enxoval, ainda falta muito, mas queremos que as coisas comecem a andar porque "lá no grupo já há mamãs a começar os quartinhos".


7 - Começamos a seguir páginas de receitas rápidas, comida low carb e healty no Instagram (ou essa sou só eu? também compreendo se desviarem os hábitos para fast food), ansiamos por sabores novos para combater os enjoos, a azia e o facto de tudo nos saber a salobro e damos por nós a procurar variedade, na esperança que isso nos adoce o paladar.


8 - Passamos estar atentas a giveaways de produtos para bebés, ofertas de ecografias 4D, amostras grátis, mercados e mercadinhos infantis e tudo o que esteja relacionado com o universo dos bebés. 


9 - As siglas DUM (data da ultima menstruação), Dpp (data prevista de parto), Eco (ecografia), O.B (obsetreta), GO (ginecologista), BUR (benurum) passam a fazer parte do dia a dia das nossas conversas online. 


E muito mais haveria para dizer. Se a minha cabeça esquecida de grávida se lembrar vem cá ascresentar!

Quem quer dar uma ajuda?

Beijos

 

No domingo comecei (lentamente) a fazer mudança de estação no closet. Divisão da casa que não estava tão caótica desde a minha primeira gravidez, há 5 anos atrás. Tudo porque à noite tenho preguiça de grávida para escolher a roupa do dia seguinte e separá-la. Feita esperta penso num conjunto e está feito. Só que nem sempre este método corre bem de manhã e acontecem fails. Com o corpo a mudar, já há muita coisa que não serve, vai daí, a Raquel veste e despe mil alternativas antes de sair de casa. Se já era difícil antes da gravidez, imaginem quando a roupa deixa de servir e as possibilidades ainda são menores. O único lado bom é que começo logo a manhã a fazer exercício. E como tem ficado o closet? Cada vez mais e mais desorganizado! Caótico mesmo!

No domingo, em jeito de brincadeira disse nas stories do instagram que pagava a quem fizesse a organização do closet por mim. Isto porque na minha ingenuidade, não fazia ideia de que existem mesmo empresas e pessoas com paciência para fazer isso por outras. Abençoadas sejam! 

Já tinha ouvido falar de personal shoppers, de stylists, de consultoras de imagem, de empresas que alteram o decor de um imóvel para ele se vender mais depressa, de baby shoppers, party planners, mil e uma coisas, mas pessoas que vão lá a casa organizar-nos a garagem, a despensa, o roupeiro o closet ou outra divisão da casa, não! Pensava que essa tarefa ainda pertencia às empregas domésticas com o pagamento de umas horas extra. Basicamente estas pessoas ajudam-nos a organizar a vida, que sonho!

E porque calculo que por esta internet fora existam mais pessoas como eu que por esta altura reservam um tempo para ir à arrecadação buscar as caixas com a roupa de inverno e o saco com o calçado para pôr mãos à obra na mudança do roupeiro, resolvi dar vida ao tema aqui no blog. Esta é umas daquelas tarefas que quando está concluída nos dá prazer e nos deixa de brilho nos olhos, mas que quando está em fase de execusão nos dá vontade de fugir. 

No meio do meu desabafo, chegaram-me muitas mensagens de pessoas a sugerir empresas e também, leitoras com o mesmo problema e que ficaram curiosas com o tema. 

Pois bem, não venho aqui partilhar nenhum milagre e dizer que descobri a formula mágica para os roupeiros se organizarem sozinhos, mas, para quem não se importar de investir um bocadinho na organização, existem, de facto, algumas empresas que fazem esse trabalho por nós. A ideia não é irem lá uma vez e ficar feito até uma próxima, a ideia é recebermos também aconselhamento de imagem, estratégias para otimizar o espaço e dicas para criarmos dinâmicas de arrumação para não nos deixamos desleixar. Um bocadinho de organização e consultoria à mistura. 

Algumas das empresas de que tive conhecimento foram: 

www.personalorganizer.pt
www.rafaelagarcez.pt
whatshedesigns.com
http://organizesempre.pt

Por aqui, confesso que recusei o conceito à partida, porque tenho alguma dificuldade em delegar essas tarefas a terceiras pessoas (não tenho nem nunca tive empregada doméstica) e porque achei supérfulo, mas a verdade é que ando mais cansada nesta segunda gravidez, não tem sido tão tranquila em sintomas como foi a primeira, tenho um filho pequeno para cuidar e dar atenção e sabia-me bem uma ajuda extra. Além disso, gostava de otimizar o espaço do closet, que não é muito grande e tem ainda o problema de ser enconco porque o nosso quarto é no sótão, e nestas questões os entendidos tem sempre algo a ensinar. 

Por isso, posso afirmar que ando a namorar a ideia de deixar uma “deusa dos closets” entrar lá em casa. Se avançar, prometo partilhar o antes & depois… ou só “o depois” se tiver muita vergonha do “antes”. 

Para já, já tenho desumidificadores com aroma própios para espaços pequenos (porque é uma das zonas com mais humidade da casa infelizmente), cabides novos e preciso de ir comprar umas caixas extra. 
Quem gostava de um antes & depois? 

Beijos! 


Quando o Duarte nasceu exclamava de boca cheia que não ia ser filho único e que em breve teria outro. Ainda ele devia ter uns três meses na altura e eu lançava a dica à família de que não ia ficar por ali. Sentia-me bem no papel da maternidade, apesar de dormir pouco e de passar os dias inteiros com dor de cabeça por ter em mim todo o sonooo de uma preguiça. O puto até dormia bem e era come e dorme, mas a privação do sono durante a noite para a amamentação davam cabo de mim. Ainda hoje se acordar a meio da noite (e já começaram as idas noturnas ao wc com a gravidez) fico logo com aquela sensação de que não descansei bem. 

O breve na minha cabeça seriam uns 2 anos ou menos. Mas...acomodei-me. Pelos 12 meses começa o desmame e voltamos a ser donas e senhoras do nosso corpo. Que leveza! Adeus soutiens e tops com aberturas e botões extra, olá roupa de gente normal. A seguir chegaram os 2 anos e começa a retirada da chucha, as primeiras birras e os primeiros diálogos, o puto começou a dar um misto de mais trabalho com o prazer de já fazer muita companhia para tudo. Quis aproveitá-lo! Depois vieram os 3 anos e com ele o desfralde, que maravilha, ganha-se toda uma liberdade depois deles largarem as fraldas, os biberons, as chuchas e todo o kit que vem com eles desde que são recém-nascidos e que não nos deixa sair de casa sem recargas de tudo e mais alguma coisa. Senti-me liberta do desfralde, com ele mais independente e a ideia de ir ao segundo passou de prioridade a sonho por cumprir um dia quando sentisse o apelo. 

Nunca deixei de ter vida social após a maternidade e sempre fizemos mil programas a três, mas a verdade é que com o crescimento dos filhos começamos a voltar a ter aos poucos as nossas rotinas anteriores e entramos numa zona de conforto. Sair dela faz-nos hesitar e ponderar, talvez até demais as coisas. O Duarte pede muito um irmão desde os 3 anos, eu sentia um quentinho no coração por uns instantes de depois arrefecia, não se dava o click. Depois chegaram os 4 anos e começamos a achar que “ui, agora já vão ter muita diferença de idade, já devíamos ter tratado disso” e começamos a namorar melhor o assunto, mas continuamos a gostar da zona de conforto.  

Não digo que isto aconteça com todas as mulheres, acredito que algumas sintam o apelo da maternidade de outra forma, mas comigo foi preciso um empurrão, um "tem que largar a pílula" para começar a construir a ideia de ir ao segundo, que sempre quis, mas que não sei porquê "demorou" a avançar. Terei sido preguiçosa, acomodada, egocêntrica ou apenas ainda não era a hora certa? 


Agora que aqui estou, perante esta barriga que cresce cada dia, não podia estar mais feliz com o que aí vem. Voltar ao mundo do cherinho a bebé, das chuchas, das fraldas e dos babetes também é tudo de bom, voltar à maternidade para a magia acontecer é o melhor do mundo. Até hoje não tive um dia tão feliz quando o dia em que o Duarte nasceu, se pudesse voltava a repetir o momento... e é isso que vou fazer :) ! 


Por aí como foi, demoraram a ir ao segundo filho ou foram logo daquelas super decididas?

Beijos,


Andei calada 4 meses, os 3 em que "não se deve dizer a ninguém", não por superstição, mas por precaução, e mais 1 mês em que andei a namorar a barriga só para mim, por isso, agora posso começar a falar sobre o tema sem enjoarem de mim certo? São só mais 5 meses :) Vocês aguentam!

Em primeiro lugar quero saber se há grávidas desse lado a seguir o blog? Acusem-se :) Vamos partilhar muita coisa em comum nos próximos meses... desde o creme das estrias à pomada das assaduras para os bebés. 

Bom... para quem achou que nos últimos meses fiz uma dieta das boas, lamento não ter nenhum truque milagroso para partilhar, apenas larguei a pílula por indicação médica e do nada foram-se 5 ou 6 kgs. E eu que achava que nem era daqueles casos a quem a pílula engorda. O meu útero estava a dar sinais de "cansaço", o spotting era constante e fui forçada a parar uns meses... bom, e já que era para detox pensei em não tomar mais (e não sei se alguma vez voltarei a tomar). E olhem, deixei-me andar... até ao dia em que o período que aparecia sempre matematicamente no mesmo dia de cada mês, fosse ele de 30 ou 31 dias, não apareceu.

Coloquei logo a hipótese de gravidez em cima da mesa, mas achei precoce porque não me sentia grávida. Pensei cá para mim "deve ser do calor", no dia seguinte nada de aparecer "mas estava ainda mais calor, podia ser disso", como se a meteorologia andasse aí a regular as senhoras. No terceiro dia sentia-me irritada como nunca, com os nervos à flor da pele, o corpo tenso e zero vontade de socializar e estar em público. Ainda assim, tinha sido convidada para um evento ao fim do dia e como não gosto de falhar, arrastei a minha pessoa até lá. Ver pessoas diferentes fez-me espairecer, mas a tensão não saia de mim, encontrei uma amiga e disse-lhe "estou irritada como nunca e não tenho motivos, acho que só posso estar grávida", precisava de libertar aquele pensamento com alguém neutro, como se o que lhe estava a dizer fizesse algum sentido. Sai de lá pela hora do jantar, não sem antes beber um copo de vinho branco, já com aquele pensamento de que podia ser o último (não me caiam em cima, para todos os efeitos não sabia de nada) e comecei a pensar que estava na altura de ir comprar um teste de gravidez (algo que nunca fiz do Duarte porque descobri no hospital numa ida às urgencias por infeção urinária e não por desconfiar de gravidez). Mesmo que ainda fosse cedo, qualquer que fosse o resultado já dava para tirar as teimas. 
 
Desviei caminho, parei na farmácia e disse "dê-me, por favor, um teste de gravidez porque estou grávida e preciso confirmar", a farmacêutica perante tantas certezas deu-me logo os parabéns, imaginem! Devo ter sido mesmo convincente. Mas... desenganem-se, não fiz logo o teste. Guardei-o para a manhã seguinte para fazer tudo como manda a bula. Sentei-me no WC à espera da contabilização dos 3 minutos, com todas as certezas do mundo de que era mesmo uma gravidez, mas quando olhei para o visor, nada... só um tracinho, que indicava "não grávida"! Resolvi dar mais um minuto antes de o deitar ao lixo just in case e porque sou teimosa e porque acredito plenamente no instinto feminino. Olhei para o telémovel para continuar a ver o resto das noticias do dia e quando fui espreitar novamente lá estava o 2º traço, timido e quase sem cor ainda, mas era sem dúvida, um positivo! Wow! E com ele toda aquela explosão de sentimentos, situados entre a alegria e o medo de sermos responsáveis por uma vida dentro de nós.

Como foi por ai? Contem-me tudo !

Beijos,

Bom dia alegria!

Eu sei que esperavam um post sobre a gravidez e não o resultado de um Giveaway... mas há que cumprir com o prometido e também é dia de fazer alguém feliz. 

Repararam que eu e o Duarte estamos a usar as pulseiras na foto do "anúncio" da gravidez? (a minha está quase escondida porque achei que um elástico anti quebra de cabelo era mais in (not) para a foto, nunca me lembro de tirar o raio dos elásticos do pulso quando tiro fotos!, mas estão lá as duas, não as largamos).

Bom, e sem mais bla bla bla....a felizarda via random.commentpicker.com é:

- Lúcia Brandão! 

PARABÉNS!!!
P.f entre em contacto comigo via mensagem privada :)


Obrigado a todos por participarem!

Beijos,


O Duarte é, FELIZMENTE, um miúdo muito ativo e cheio de energia. Já várias vezes aqui falei da necessidade que sentimos dele ter atividades extracurriculares para gastar as reservas diárias, caso contrário as pilhas duram ad aeterno para alegria dele e para nosso desespero na hora de ir dormir. “Só” a escola não lhe chega. 

Faz natação. desde os 10 meses, uma vez por semana e está fora de questão sair porque adora. É ele quem nos tira da cama ao domingo de manhã a reclamar pelo leite matinal excitado por ser dia de ir nadar. Está como um peixe na água e não tenho dúvidas nenhumas de que tem contribuído muito para o desenvolvimento dele, afinal de contas é um dos desportos mais completos. Além disso, tem sido giro acompanhar a evolução e os progressos dele dentro de água. 

O ano passado começou, meio por brincadeira, a treinar numa escolinha de futebol com outros meninos pequeninos, mas depois veio o verão e os treinos pararam e agora estamos em fase de avaliação de opções extracurriculares para encaixar a meio da semana (na escola só tem expressão física). O futebol está na calha, sempre adorou jogar, mas desde que viu o filme LEGO® NINJAGO, que está nos cinemas, que imita os movimentos de artes marcais e não se cala com os ninjas e o Karaté. Confesso que sou leiga em artes marciais, nunca fiz, nunca assisti a demonstrações, sei o básico dos básicos. Serve para promover a autodefesa, eleva a autoestima e pode ser útil em situações de bullying (não para andar à pancada, mas sim para não se deixar abater psicologicamente), por isso, fiquei tentada a explorar melhor o tema ir procurar opções para ele. Alguém tem dicas de escolas na zona de Loures/Odivelas? 

Confesso que estamos um pouco divididos entre o Futebol e o Karaté, isto porque não são comparáveis entre si, a primeira é um desporto coletivo e fomenta a partilha, a segunda um desporto individual que promove o autoconhecimento. Cada uma delas tem vantagens e pontos fortes. Frequentar estas duas mais a natação parece-me excessivo quer para ele quer para a nossa carteira, quer para o nosso bem-estar pois também precisamos de horas de lazer e tempo em família, mas gostava de optar rapidamente por uma delas, ele pede e as minhas noites de sono também. Já alguém já passou pelas duas experiências com os filhos? Têm recomendações? Sei que é uma pergunta difícil pois os miúdos não reagem da mesma forma às atividades propostas, mas normalmente as mães são boas na análise destas matérias. Por outro lado, não quero deixar passar muito tempo sem lhe dar opções pois já começa a gostar da playstation e ficar no sofá para mim não é opção de entretenimento para ele, só um bocadinho aos fins de semana. A educação desportiva também faz parte do papel dos mais, a par com a alimentar e com todos os outros valores que temos que lhes transmitir. 

E, como cá em casa não existe a palavra sedentarismo. Todos fazemos desporto e todos temos consciência dos benefícios do exercício físico, até os mais velhos, aproveito este post para vos deixar um desafio para sábado, dia 14 de outubro – o 34º Passeio Mimosa Avós e Netos – um passeio que já fizemos em família e que foi muito divertido. O Duarte encarou o percurso como uma verdadeira missão e exibiu todo orgulhoso a medalha conquistada. Os miúdos gostam destes estímulos para o desporto.
 
O Passeio Mimosa Avós e Netos tem ponto de partida às 10h, no Rossio dos Olivais, e trata-se de um percurso à escolha de 2 a 4km em que se celebra a celebra a família com muita diversão e nutrição, brinca-se às corridas e sensibiliza-se para a importância do desporto em todas as idades e o consumo de leite. 

É um momento divertido de lazer pensado para avós e netos (mas atenção, os pais também podem ir, estivemos todos na 33ª edição). No entanto, se tiverem assuntos extra-kids para tratar, podem aproveitar a dica para tirar um dia de folga e desafiar os mais velhos e os mais novos a ir passar uma manhã diferente ao ar livre, num passeio à beira rio, divertido para todos. 

E, para os fãs, o ator Francisco Garcia é o padrinho desta corrida e vai estar a animar o percurso na companhia das mascotes Mimosa pensadas para deliciar os mais novos. Fica o desafio no ar! 
Quem se vai juntar?

Hoje celebra-se o Dia Mundial dos Animais e não podia deixar de o assinalar aqui. Somos uma pet family assumidamente feliz e não imagino a nossa casa sem os nossos membros de 4 patas

Muitas pessoas perguntam-nos como conseguimos ter tantos cães e, paralelamente ter tempo para cuidar, tratar e passear? 

Bom, a verdade é que se vivêssemos num apartamento isso não seria possível, ou melhor, seria, mas em menor número, provavelmente tínhamos só 1 cão e a nossa vida não era tão animada, nem tão completa.

Ter cães sempre foi o meu sonho de menina e, apesar de ter vivido toda a infância e adolescência numa moradia, os meus pais só deram "ok" ao primeiro cão já eu estava na faculdade - a Noa, uma Labrador Retriver - estão a ver o que penei não estão? Por isso, começaria por dizer que é uma paixão, logo ai é meio caminho andado para correr bem. 

Depois, é preciso ter condições e ajustar ao nosso estilo de vida...

Quando casámos e decidimos reabilitar a nossa moradia, ter cães já fazia parte dos nossos planos (um deles já viva comigo, o Boog que está na foto e que é filho da Noa, que já faleceu), portanto podemos afirmar que temos um T3 + 5! Preparámos a casa para os receber com casotas, escoamento de resíduos e bebedouros automáticos, não para não termos trabalho com eles, mas sim para garantirmos a higiene e a hidratação durante o período diário de ausência. É mais fácil ter cães em moradias do que em apartamentos, jamais teríamos 5 cães num apartamento, até porque prezo muito a limpeza da casa. Assim, nós temos o nosso T3 e eles têm o T5 deles com caminhas e tecto. 

Vivendo no campo é fácil passeá-los, todos os dias correm pelo mato à volta de casa, livres e sem os limites impostos pelos 5m de uma trela extensível, pelo que a questão do cuidar, tratar e mimar também é bem mais fácil. Eles são felizes aqui! A única coisa que logisticamente é mais complicada e dispendiosa é a alimentação e os cuidados pois são muitos. Além disso, a vida no campo implica ter mais cuidado com parasitas, sobretudo pulgas e carraças.

Felizmente no último ano descobrimos a Barkyn, que quem nos segue no Instagram certamente já deve conhecer e também já aqui falei anteriormente. A Barkyn é aquela vizinha que tem tudo e nunca nos deixa desprevenidos: ração, snacks, brinquedos, desparasitante, etc a preços excelentes e que nos entrega tudo em 24h, facilitando bastante a parte logística! 

Já vos tinha falado das Boxes mensais de snacks e mimos para os cães, mas nunca vos falei do serviço de subscrição regular, que é muito útil para os donos. Este serviço é feito através do site da Barkyn e consiste na subscrição (semanal, bimensal, mensal) de ração + snacks ou ração + snacks + desparasitante, ou seja, tudo o que precisamos para cuidar dos nossos pets chega-nos à porta com a regularidade que quisermos (nós é que definimos) para renovar o stock. Existem várias rações à escolha, de vários intervalos de preço, para todos os tipos de cães e etapa de vida. 

Como funciona? Existem duas modalidades: o plano light, desde 4.5€ e o plano premium, desde 9€, por encomenda. Muito em conta e muito completo. As encomendas por aqui chegam super rápido. 

O plano light inclui:
Ração habitual/escolhida
Yummy Bag com 8€ em snacks
Programação de encomendas
Suporte VIP

O plano premium inclui:
Ração habitual/escolhida
Yummy Bag com 8€ em snacks
Barkyn Box de 19€ a cada 3 encomendas
Desparasitante em pipeta de 5€
Programação de encomendas
Suporte VIP

Fica a dica, neste Dia Mundila do Animal :) Se quiserem saber mais sobre a subscrição espreitem o site. A nossa susbcrição chegou esta semana e hoje é dia de pic nic no jardim e alguém está bastante curioso :)


Beijos e saudações patudas!