Porque estamos em novembro e muitas de vós já andam a pensar nas prendas de Natal, hoje venho falar de um livro giro que o Duarte recebeu e que dá um presente original daqueles que perduram no tempo - o Peewee Book!

O Peewee book nasceu de uma startup e por isso é daqueles projetos que dá gosto especial conhecer e partilhar! É um livrinho infantil totalmente personalizado que podemos construir e encomendar online. Cada estória é única porque somos nós que completamos a narrativa de cada livro a gosto e ao gosto de cada criança. Tudo é personalizável, desde a capa às ilustrações!



O do Duarte fui eu que fiz e decidi chamar-lhe "Quando eu tinha 5 anos" porque é uma forma sempre gira dele poder voltar atrás no tempo e recordar os gostos que tinha aos 5 anos e sobretudo porque foi a idade em que ganhou um irmão! Na parte da dedicatória até coloquei "com amor do mano Xavier". É giro para agora e giro para reler aos 20, 30, 40 anos...quiçá mostrar aos filhos mais tarde. Os livros são eternos e achei este projeto muito giro por isso. 






Para fazerem o vosso basta ir ao site e começar o vosso projeto, é muito simples e intuitivo. Depois de escolhida a capa, o titulo e as ilustrações, é tempo de rever os textos, folha a folha e construir a vossa estória à medida. Coloquei o nome do irmão, dos melhores amigos, as atividades que mais gosta de fazer, comida preferida, etc. Adorei esta possibilidade de revisão do texto pois quanto mais próxima da realidade mais gira se torna esta história sobre ele. Agora ficou no ar a vontade de fazer um livrinho por ano estilo coleção.




Em poucos dias chegou por correio e o Duarte ficou tão feliz com o livro que até pediu para levar para a escola para mostrar à professora. 
 
Fica a dica pois é um presente muito giro, pedagógico e fora do vulgar que podem dar nos anos, no Natal, no final do ano letivo, etc. 
Nem preciso de vos dizer que é importante incentivar as crianças a ler certo? A biblioteca que os rapazes têm no quarto fala por si! Somos fãs de livros!

Já queria ter vindo aqui falar sobre este espaço novo que ficámos a conhecer nas nossas férias no final de setembro, mas a verdade é que logo no dia seguinte à nossa chegada o Xavier iniciou o colégio e desde aí que andamos a adoecer à vez cá em casa nos últimos 2 meses sem falhar uma semana - o típico cenário de quando se inicia o infectário (e eu sou aquela mãe esponja que apanha tudo). Espero dias melhores como os que tivemos a sul! Mas porque não é só no verão que se fazem escapadinhas e ainda tenho fé no verão de São Martinho, aqui vai a minha opinião sobre este hotel.


Falo-vos do Vale da Riberira Residences by MacDonald Hotels & Resorts, um empreendimento recente (abriu este verão) onde encontrei as moradias mais bem equipadas de sempre para receber bebés (e famílias) e um sossego incrível, apesar da localização em pleno Algarve (Portimão).

O Vale da Riberira Residences by MacDonald Hotels & Resorts fica mais concretamente na Mexilhoeira Grande (entre a serra de Monchique e a praia) e é composto por 42 villas que funcionam em regime de self-catering ( o que para viajar com um bebé em fase de iniciação de diversificação alimentar era pré-requisito para estas férias pois já sabia que ia precisar de fazer sopas e puré de fruta). Até varinha mágica encontrei nas gavetas.  

A decoração das vilas é moderna e minimalista, com o essencial para nos sentirmos verdadeiramente em "casa". O Duarte mal chegámos soltou um "quero ficar aqui para sempre!". As vilas têm cozinhas super completas, áreas de estar espaçosas e espaços privados ao ar livre com mobiliário de exterior para desfrutar o por do sol, os quartos estão equipados com ar condicionado e há acesso a Wi-Fi gratuito. A pedido (além do berço), fornecem cadeirinha da papa, banheira para o bebé e ainda é possível ter um carrinho de passeio por uma tarifa extra, coisas que facilitam a vida aos pais e evitam termos que andar com a casa às costas. Outro plus: lugar de estacionamento à porta, facilita bastante para carregar/descarregar malas e tralhas de 2 miúdos. 





Ficámos numa V2 com duas suites, mas acabamos por dormir todos no mesmo quarto com o Duarte enfiado na nossa cama e o Xavier no berço (um clássico). Adorámos a tranquilidade e envolvência do local. A cozinha está muito bem equipada, e a ideia inicial era ir explorar restaurantes na zona em todas as refeições, mas acabámos por fazer os almoços em casa para aproveitar melhor o tempo entre as sestas do Xavier. 









O que o Duarte mais gostou foi a piscina infinita e parque infantil. Também existe uma piscina de crianças, mas o meu pequeno nadador já gosta de muito espaço para mergulhar. O Xavier, por sua vez, fez o batismo de "mergulho" por lá e pelas fotos conseguem perceber que gostou bastante. 







Recomendo para famílias e na minha opinião a localização une o melhor dos dois mundos: o campo, na varanda sentia-se o aroma a estevas, e o mar, a uma distancia de 15 minutos de carro chegamos às Meia Praia (em Lagos). 

Na piscina existe um bar de apoio onde servem refeições ligeiras, como tostas e pizzas. 
Se quiserem ir passar uns dias a Sul, porque o inverno não tem que ser cinzento e sem programas familiares, não deixem de espreitar este sítio.

Beijos

É oficial, o Halloween está mais-do-que-instalado em Portugal e já recebi da escola do mais novo um desafio para participar num concurso de abóboras! Eu, que até vou ter um fim de semana bastante preenchido, vou ter que reservar algum tempo para decorar uma abóbora e já ando a pensar nos materiais pois vai ter que ser algo fácil.

Como o Xavier ainda não percebe nada de abóboras, a não ser a que despacha na sopa, vou recrutar a ajuda do mais velho para desenrascarmos uma abóbora para levar para o colégio do baby Xavi na segunda-feira. 

Para quem vai enfrentar um desafio parecido no fim de semana, deixo algumas ideias rápidas para abóboras divertidas!


1. Derreter lápis de cera usados com ajuda do secador, o resultado é original e resulta numa abóbora festiva. Vejam o vídeo: https://bit.ly/ZgYvB0 



2. Para uma mais assustadora e igualmente rápida é só comprar na farmácia ligaduras com gesso e envolver a abóbora, deixar secar e colocar dois olhinhos à espreita!


3. Esta ideia também muto gira: tatuar uma abóbora com tatuagens temporárias, tenho algumas em casa de restos de festas de anos e é uma hipótese! 


É uma actividade que os mais novos gostam de fazer e assim mesmo quem não tem jeito para trabalhos manuais, já não tem desculpas!

Beijos


Quando engravidei do Xavier pensava que 5 anos de diferença do Duarte já se iam notar bastante e que ele não ia brincar muito com o irmão, pois existe de facto um gap temporal de gostos e interesses. Mas é engraçado ver como o amor de irmãos se eleva a isso tudo e eles se vão adaptando e conseguem encontrar momentos de brincadeira, seja no tapete de atividades, seja com instrumentos musicais, seja a brincar às "escondidas", seja a jogar às imitações.

O Duarte neste momento é o centro das atenções do Xavier, tudo o que ele faz encanta-o e ele ri-se à gargalhada. No sábado tivemos a oportunidade de participar na Festa do Pijama da Lego e lá andou o meu pequenote curioso atrás do irmão e eu cada vez mais orgulhosa do meu mais velho que, tirando uma fase de ciumes ligeiros, demonstra todos os dias um amor enorme pelo irmão e até o deixa babar as peças de Lego Duplo.

Estamos a 3 meses do Duarte fazer 6 anos e este ano o tema Lego é uma opção por ser bastante transversal as várias idades dos amigos e porque ele adora (senta-se na mesa da sala de jantar a brincar horas ao fim de semana), por isso aproveito para deixar algumas inspirações, até para meninas este consegue ser um tema giro como podem ver! Lego é Lego, não há nenhum miúdo que fique indiferente.

  






 

Sugestão de compra: 
Beijos
 


Aqui estou eu e curiosamente hoje não venho falar de crianças, nem da adaptação à creche que me está a custar horrores e lágrimas, nem das sopas e fruta, nem das férias (mas lá chegarei) porque também sou filha de gente e também gosto de ver montras e mimar-me de vez em quando. Hoje apetece-me falar de moda.

Por isso, falemos de Chunky Sneakers (ou Dad Sneakers)!

Há quem goste, há quem odeie. Eu adoro e adoro a forma como potenciam os looks e dão um ar descontraído mas sem perder a pinta. Esta nova moda dos Chunky sneakers, ou sapatilhas maxi, é a minha cara e já tenho os primeiros a caminho! Primeiros porque se a moda ficar pelo ciclo habitual de 5 anos, muito provavelmente ainda terei outros. Ainda assim fui contida, não vá isto daqui a um mês ser démodé e eu ter gasto uma fortuna, porque querer assim de paixão eu queria era os da Balenciaga, mas 800€ por uns ténis está fora de questão, por isso vêm uns Zara para casa e já não é mau. 

Ainda me lembro de andar no liceu com uns 16 anos e ter uns Skechers coloridos que pareciam uns tratores, por isso, este regresso ao "exagero nos pés" foi muito bem vindo por aqui, ou não fosse eu um bocadinho avessa a saltos altos. Acho maravilhoso nas outras, em mim, sinto-me um cavalo selvagem que nunca se adaptou à ferradura (#sorrynotsorry). 

 Por isso, fiz um apanhado dos meus preferidos de várias marcas para vos inspirar neste outono/inverno que se espera com 32 graus até ao Natal, mas com os pés bem protegidos contra pisadelas!


Fila | Stradivarius | Zara | Balenciaga | Deichmann | Adidas | Parfois | Calvin Klein | Berskha