BabyTime

No início da quarentena fizemos algumas mudanças no quarto dos manos, sobretudo porque precisava urgentemente de ser pintado devido a problemas de humidade (já agora ficam a saber que a empresa Cintracor faz entregas de tinta e todo o material necessário ao domicílio). 

E já que retirámos os móveis para as pinturas decidimos mudar a disposição dos mesmos e dar um novo ar ao quarto. Volta e meia sinto necessidade de mudar as coisas de lugar e criar novos ambientes mesmo sem comprar nada de novo, que foi o caso. A felicidade começa em casa não é? E eu gosto de sentir que os ambientes me dão conforto e bem-estar.

No entanto, a mudança que mais sucesso fez foi a ideia que tive de trazer o pátio da escola para dentro do quarto com a recriação do jogo da macaca e foi um sucesso. 

E o melhor de tudo: só precisei de 1 rolo de fita adesiva preta que me deve ter custado 1,50€ num armazém chinês e 1 tesoura!

Deixo aqui foto da fita que usei para perceberem a qual me refiro, é aquela estilo isolante. Também podem fazer com fita de pintor, mas na minha opinião suja-se mais e dura menos.



Fiz tudo a olho, não usei nenhum molde, nem régua, a não ser uns ténis do filho mais velho para definir a dimensão dos quadrados. Afinal de contas o jogo original da macaca com giz no chão também nunca foi perfeitinho nem nivelado.

Eis o resultado final que tem sido um sucesso!


Have fun!
STAY POSITIVE!

Este fim de semana, eu e o pai, metemos mãos à obra e erguemos uma sobremesa bem especial para surpreender os miúdos. As últimas semanas foram um bocadinho agridoces por isso este desafio da Milka chegou em boa hora para adoçar os dias.

Achei a ideia tão gira, até mesmo para outras alturas do ano como Páscoa ou Natal (basta acrescentar açúcar em pó para o efeito snow) que resolvi deixar aqui no blog para consulta futura. 

O que vão precisar?
2 tabletes MILKA Mmmax (base)
5 tabletes Milka Chocolate de Leite 100gr (paredes)
2 tabletes Milka TUC ou Milka Oreo (telhado)
Sobras para derreter e decoração

Preparação:


Passo 1: Cortar 2 tabletes Milka Chocolate de Leite 100 gr em quadrados 4x4. Sem esquecer as janelas!

Passo 2: para a frente da casa e para trás usem 2 tabletes Milka Chocolate de Leite cortadas numa peça de formato 5x4 quadrados. A seguir cortem os cantos superiores na diagonal (entre a 3ª fila e a 5ª vejam a imagem acima em caso de dúvida). Façam uma abertura para a porta!

Passo 3: derretam as sobras em banho maria para começar a montagem)

Passo 4: para a base, coloquem 2 tabletes Milka Mmmax unidas ao meio com o chocolate derretido

Passo 5: Unir as partes começando pela traseira da casa e as laterais. Decorar a gosto. Consumir a gosto :)

Dicas

Dica 1: quanto mais amolecido/temperatura ambiente estiverem as tabletes melhor para não partirem no corte.

Dica 2: para evitar acidentes e as tabletes não quebrarem, aqueçam a ponta da faca com 1 isqueiro de fogão, vão conseguir cortar facilmente sem necessitar de exercer muita força/pressão.






Em caso de dúvida, espreitem aqui o vídeo com todos os passos!



HAVE FUN!




Este post chega com algum deelay mas achei que o devia colocar no blog porque foi um dos melhores dias que tive nos últimos tempos que têm sido os mais desafiantes de sempre.


 O Xavier completou 2 anos no dia 21 de março, com a chegada da Primavera e também na nossa primeira semana de confinamento social devido ao COVID-19.


Quando em Fevereiro comprei os balões para a festa cujo tema foi "TWO FUN" estava a milhas de imaginar que íamos ser apenas os 4 a festejar dentro de 4 paredes e com a família e amigos à distância do Skype, do Zoom e do Teans (num instante tornamos-nos experts em apps para reuniões com muita gente). 


Não pensei muito se ia ou não fazer a festa acontecer. Decidi logo na hora que sim. As coisas estavam compradas, tínhamos muito material de festa de sobra do filho mais velho e o desafio era apenas fazer "o" bolo e montar o decor (coisa que adoro e que para mim até é terapêutica, quanto mais ocupada menos ansiosa). O bolo também não era nada que já não tivesse arriscado no filho mais velho com esta receita maravilhosa, mas desta vez simplifiquei (já mostro abaixo). 


Ele merecia um dia feliz e cheio de mimo. Por isso, celebrámos o amor, a família e a saúde.  Além disso, ficam sempre as fotografias para mais tarde recordar e uma historia sensível para lhe contar e ele contar aos netos mais tarde.


O dia foi tão divertido e preenchido que quase conseguimos sentir que a família esteve connosco presencialmente e por algumas horas estivemos abstraídos da realidade. 


Como não tínhamos presente para ele, embrulhámos às escondidas a Arca de Noé da Playmobil do irmão mais velho (arrecadada na garagem há alguns anos) e para ele o efeito surpresa foi o mesmo do que se tivéssemos ido comprar algo novo. A prova maior de que as crianças não precisam de muito para sorrir.


Fica o registo fotográfico deste nosso (possível) dia feliz dentro do contexto.






A ilustração do bolo foi feita pela Três Pinhas, recebi por email, imprimi e adaptei para fazer de topper com uma colher de madeira e cola quente. 

Curiosidades: 

- usei para o decor uma grinalda do Mickey que tinha comprado ainda grávida dele por 3€ em segundos saldos

- para o bolo fiz a receita do verso da embalagem do chocolate em pó da Condi (passando a #pub) e usei a cobertura desta receita que corre sempre bem.












O bolo

O presente improvisado



Fica o nosso registo para mais tarde recordar!




Este ano a Caça aos Ovos da Páscoa foi diferente de todas as outras por razões obvias, mas os manos tiverem direito a veículos especiais.

Quem olhar para isto vai achar: demasiado tempo livre na quarentena é o que dá não é?

Mas enganam-se, levei algumas semanas a começar e terminar (em segredo, à noite e a esconder tudo na garagem para não deixar vestígios). No Domingo de Páscoa lá estavam elas no quarto à espera dos manos para começar a brincadeira. Há vídeo do DIY aqui. Pelo caminho entusiasmei-me e também fiz uma bomba de gasolina com uma caixa de flores e uma caixa de sapatos e ainda umas pranchas de surf com os restos de cartão e binóculos com cartuchos dos rolos de cozinha. 

Isto para mim é terapia para o tédio dos dias em casa, reinventar o que existe e criar memórias diferentes e mais felizes para fugir ao contexto atual.

Eles adoraram, de tarde ainda fomos para o jardim com elas brincar!




Material:

2 caixas de cartão recicladas
1 marcador 
1 rolo fita adesiva larga
1 lápis de carvão (para desenhar os contornos, fiz quase tudo a olho menos o o símbolo e as rodas onde usei o rolo de fita cola larga como medida e para as janelas usei o meu telemóvel lol)
Tintas que tiverem para pintar




Inspiração: Pinterest 
Não, não fazemos parte dos que açambarcaram Kgs de papel higiénico para casa com medo da quarentena. Mas a mãe atrás deste blog faz parte das que vê potencial em todos os materiais e que por isso guarda sempre os cartuchos de papel higiénico. Já fizemos um calendário do advento com cartuchos, coelhinhos da Páscoa, e por ai...

Este fim de semana encontrei um rolo de fita adesiva que tinha sobrado de um aniversário do Duarte (quando reinava a "febre" do Faisca Macqueen) e lembrei-me de fazer uns popós para o Xavier brincar com rolos e tampinhas das frutas que também andava a guardar para fazer actividades sensoriais.  
Material:
Cartuchos de Papel Higiénico
Tampinhas de frutas ou garrafas
Cola quente
1 marcador




Have FUN!





Já perdi a conta às vezes que partilhei esta receita por mensagem nas últimas semanas, por isso, agora que tenho "tempo" resolvi deixá-la aqui para ser mais falta a consulta.

É uma receita que faz muito sucesso cá em casa e que me pedem muito. Sai sempre bem e desaparecem no próprio dia!


Ingredientes para 4 pessoas:

3 batatas doces grandes cozidas no forno ou vapor

3 colheres de sopa óleo de coco ou manteiga

55 gramas de açucar amarelo

Aroma de baunilha a gosto

2 ovos

Mexer tudo na misturadora ou na bimby até ficar uniforme

Meter numa taça e peneirar:

55gr de farinha de aveia 

1 colher de sobremesa de fermento 

75gr de chocolate em pó 

Envolver bem. Untar uma forma com oleo de coco ou margarina e levar ao forno cerca de 20m.

Cá em casa gostamos da massa para o crua por isso não deixamos cozer muito.


Dicas:

Se fizerem com batata doce roxa o resultado final fica ainda melhor

Se não tiverem farinha de aveia podem reduzir 55gr de flocos de aveia a farinha na velocidade máxima da Bimby.

Podem adicionar nozes 


Bon appetit!




No sábado fizemos o passeio às Berlengas, em Peniche, e vale muito a pena! Na verdade já lá tinha ido com os meus pais na adolescência, já lá vão uns 20 anos e tinha uma ideia vaga das coisas, mas agora superou as expectativas. Além disso, e contra todas as previsões na véspera, tivemos sorte com o tempo e o sol brindou-nos. Para lá fizemos a viagem com nevoeiro intenso e humidade (habitual em Peniche o tempo estar assim de manhã por isso não desanimem se vos acontecer), para cá, regressámos com sol radiante por volta das 14h.

Atualmente só é permitido visitar as Berlengas em dois horários diários, das 9h30 às 14h e das 14h às 18h30, de forma a só estarem 500 pessoas na ilha de cada vez. Optámos por ir logo de manhã mesmo sabendo que o risco de ir com nevoeiro era maior.



QUAL A MELHOR IDADE PARA LEVAR CRIANÇAS PELA PRIMEIRA VEZ?

Foi uma das perguntas que mais me fizeram e confesso que é daquelas coisas que vão da vontade e dos objetivos de cada um. Se forem numa de fazer praia, é relativamente fácil chegar no Catamaran e ir para a praia com bebés, se quiserem ir visitar a ilha, fazer a subida e a descida para o Forte de São João Batista, apanhar os barquinhos para visitar as grutas, já acho mais complicado. Envolve subidas e descidas em piso irregular, levar carrinho é impossível e não há sombras no percurso, se quiserem mesmo levar, aconselho levar os bebés uma mochila tipo ergobaby ou semelhante. Pessoalmente acho muito mais fácil a partir dos 3 anos, quando já não exigem tanto colo, já caminham melhor e já têm mais independência. Por opção, decidimos não levar o Xavier.





O QUE LEVAR?

Uma mochila por cada elemento é indispensável para levar água, snacks, máquina fotográfica, protetor solar, toalha de praia (que podem usar na lancha rápida para tapar as pernas e proteger do frio matinal) e um saco para trazer o lixo de volta.



O QUE VESTIR?

Foi uma das dúvidas que tive, pois sabia que ia enfrentar frio no mar de manhã. Aconselho levar bikini ou fato de banho por baixo (mesmo que esteja nublado), uns calções, uma t-shirt e uma sweat com capuz (dá jeito no mar). Nos pés levem chinelos, para o caso de entrar água ou ficarem salpicados e uns ténis na mochila para trocar quando chegarem lá para fazer o percurso pedestre na ilha.


O QUE VISITAR?

Desta fez fizemos o percurso pedestre com guia turístico, já estava incluído no pacote, e senti que foi útil para rentabilizar o tempo e absorver mais conhecimento sobre a ilha. Fizemos o passeio da seguinte forma: chegada à praia e subida à ilha, descida ao forte de S. João Batista onde apanhamos o barco para visitar as grutas e regressámos à praia. No forte há uma paragem de 40m que dá tempo suficiente para fotos, beber café (há um café no forte), ir à casa de banho, explorar as vistas do forte. Depois é feito o passeio pelas grutas, num pequeno barco com fundo de acrílico que permite ir a ver os peixes e regressamos à praia, onde pudemos ficar 2h, que considerei tempo suficiente. A água é gelada (ronda os 15 graus) mas é maravilhosamente translucida e está cheia de peixinhos.




EM QUE BARCO IR?

Na primeira vez fui no barco grande - Cabo Avelar Pessoa - e demoramos cerca de 45m a chegar lá, desta vez arriscámos ir de lancha rápida com a equipa Berlenga Live e fizemos o percurso em 20m. Se gostam de adrenalina arrisquem a lancha, é divertido, mas se levarem crianças confirmem primeiro com o operador como vai estar o mar. Nós fomos num dia flat por isso correu lindamente e foi o batismo de mar do Duarte. Se gostam de passeio e querem ir com mais conforto, sugiro irem no catamaran BerlengaTur.  

COM QUE ANTECEDÊNCIA MARCAR A VIAGEM?

Convém marcar a viagem com alguns dias de antecedência (4 a 7 dias ) pois nestes meses esgota facilmente. Também podem reservar online. Mas sugiro que telefonem antes para confirmar se o mar vai estar bom para a travessia, até podem perguntar qual o melhor dia para agendar a ida com uma criança (foi o que fizemos).  

QUANTO CUSTA?

A opção mais barata é fazer a travessia sem grutas via o operador Viamar, onde o preço por adultos em época alta é 25€/pessoa, 15€/crianças (até 4 anos é 5€). Na ilha podem comprar a visita às grutas por 8€/pessoa (crianças também). Com opção lancha rápida + grutas (compramos o pacote inteiro), ficou em 37€ adultos + 33€ criança.

HÁ ENJOOS?

Por opção o Duarte tomou meio comprimido para o enjoo e correu muito bem, mas os entendidos defendem que na lancha rápida é raro enjoar, ao contrario dos barcos maiores.







ALGUMAS CURIOSIDADES SOBRE AS BERLENGAS:

  • Perdemos-las para os espanhóis e voltamos a consquistá-las
  • Não há água potável na ilha, só a engarrafada que vai de Peniche
  • Por opção, o faroleiro vive sozinho na ilha o ano todo com o cão "Farol"
  • Já existiu uma espécie semelhante a um pinguim na ilha (o airo) que se extinguiu devido às alterações climáticas e sobrepovoamento de gaivotas, mas continua a ser o símbolo da ilha
  • Atualmente só podem entrar 500 pessoas de manhã e 500 de tarde nesta reserva natural
  • É pedido que todo o lixo que se faz na ilha volte connosco no barco
  • Já existiram mais de 40.000 gaivotas na ilha e neste momento há cerca de 12.000 (o controle de natalidade está a ser feito por uma associação ambiental)
  • Só há uma praia na ilha
  • A água é tão transparente que se conseguem ver peixes em todo o passeio


E POR FAVOR, se fumarem na ilha, não deitem as beatas para chão 
nem para o areal!