BabyTime: Maio 2019
Não comprei presente para nenhum porque na realidade não precisam de nada e não gosto que tenham  mais do que aquilo que é preciso. Por isso, estamos a pensar levá-los a passear onde calhar. Deixo-vos abaixo  atividades grátis que vão decorrer um pouco por todo o país para se inspirarem!

1.MAAT



Nos dias 1 e 2 de junho, visitas grátis ao museu (edifícios MAAT e Central Tejo) e muitas atividades para toda a família.
Vai também ser possível visitar duas vezes por dia, às 12 e às 16 horas, o percurso secreto da Central Tejo, zona habitualmente encerrada ao público, e descobrir a história desta fábrica que já iluminou Lisboa.


2.AQUASHOW PARK

Para comemorar o Dia Mundial da Criança, no próximo sábado, 1 de junho, o parque Aquashow oferece o bilhete a todas as crianças com idade até aos 10 anos. Quem estiver pelo Algarve com filhos, é aproveitar!




3.MUSEU DO ORIENTE

 
O Museu do Oriente assinala o Dia Mundial da Criança, com oficinas para os mais novos. No dia 1 de Junho, a entrada no museu é gratuita.
 
Para famílias com bebés até aos 12 meses, realiza-se no sábado,  às 11.30, o ateliê “Caixas, Caixinhas e Caixotes”. De diferentes tamanhos e formas, para empilhar, guardar ou espreitar para divertidas surpresas encontrar.



4. QUINTA PEDAGÓGICA DOS OLIVAIS

É um passeio que nunca desilude e podem levar lanche e fazer pic nic ao pé dos animais!
 
Beijinhos

Sempre tive contacto com a natureza e o que ela nos dá. O meu avô paterno era caseiro numa quinta cheia de animais e o meu avô materno era maquinista numa grande herdade agrícola. Tive a infância que gostava que os meus filhos tivessem – e sempre que posso – é isso que lhes dou. É importante sair das páginas dos livros, ver para lá dos ecrãs dos tablets, conhecer a origem das coisas e apalpar o mundo. 

Com um tive a sorte de dar biberão a borregos bebés, de ver nascer cabrinhas, de sentir o pelo macio dos coelhos, alimentar pombos-correio, com o outro, de explorar searas de trigo, pomares e hortas. Apanhar a fruta da árvore e comer. Subir oliveiras. Abanar amendoeiras. Cheirar limões. Encher o balde de tomates e pepinos. Brincar com as minhocas da terra. Ver, sentir, cheirar, tocar, Não tive uma infância de cimento e sinto-me privilegiada por isso.  

Como vivemos numa zona rural, os meus filhos conseguem ter um pouco dessa realidade e esse contacto com os elementos, embora não seja igual à minha infância. 

Este fim de semana estivemos no Algarve, em Algoz, a convite do Lidl, para um sábado muito especial no laranjal para conhecer in loco um dos produtores de citrinos do Lidl








O Lidl tem um compromisso de apoio à produção nacional e é por isso que podemos encontrar nas lojas citrinos do Algarve - laranja, clementina e limão - com certificado IGP. E além disso, todos sabemos que não há laranjas docinhas como as do Algarve.



[a nossa colheita]

É bom saber a origem das nossas escolhas e o que damos aos nossos filhos. Foi divertido levar os miúdos ao laranjal e deixá-los explorar o terreno. No final, tivemos um almoço muito especial, em jeito de pic nic, no meio do pomar (uma ideia tão gira!). O menu do almoço teve como base nada mais nada menos do que as laranjas do Algarve e estava ótimo!




Carpacio de laranja com cebola e presunto

 
Salmão com molho de laranja e ervas


Bolo de laranja com topping de chocolate


Pera com laranja e anis


Foi muito giro (e saboroso!) e ficámos a saber que os citrinos do Algarve que podemos encontrar no Lidl tem um sistema de distribuição diária para garantir a maior frescura possível. 


Beijinhos



E finalmente aconteceu!

Ontem até verti uma lágrima quando recebi a foto a escola e fiquei assim um bocadinho triste por não estar ao pé dele. Coisas de mãe. 

Partilhei a foto com o pai que também ficou comovido e lamechas. É só um dente, mas é um marco na infância dele.

O miúdo andava há meses a fio a desejar este momento. Os amigos já perderam os primeiros dentes há meses e ele que com 12 meses ainda não tinha dentes tinha este tão desejado marco em "atraso". 

Mas isto de cair o primeiro dente tem muito que se lhe diga… na noite anterior já abanava tanto que ele começou a ficar muito ansioso. Quase nem comeu com medo de se aleijar e quase nem queria adormecer com medo de o engolir durante o sono e não vir a fada dos dentes. E o medo da dor? Estava tão inseguro no meio da sua vontade. Perdido entre o querer e o não querer.

O pai inventou à pressão uma história de que os dentes são como os frutos, só caiem quando já estão muito maduros e não aleijam o tronco da árvore para poder dar lugar a outro fruto novo. Acalmou-se.

E assim foi. De manhã quando saiu do banho disse-me "mãe, acho que vai cair hoje na escola, não achas?"

- Acho filho, e vais ficar crescido como os teus amigos!

[ e assim foi ]

Mal cheguei a casa corri para lhe apertar as bochechas e ver o novo sorriso, que para mim, é sempre o mais bonito dos meus dias!


[a quem ajudou na procura pela caixinha para guardar os dentes de leite, encontrei aqui, aqui e aqui ]







Estivemos em modo escapadinha no ZMAR nos últimos dias por ocasião do Dia da Mãe e foi muito especial. Em primeiro lugar porque voltámos a um sitio que adoramos. O blog ainda era uma nesga neste mundo digital, o Instagram dava os primeiros passos e nós já lá andávamos a criar memórias. Temos vídeos do Duarte com a mesma idade do Xavier na piscina, no parque infantil, à porta do bungalow, a ver os animais… levar lá os dois é fortalecer raízes num lugar feliz. 









A mim fez-me maravilhas porque andei sem horários [e confesso que os miúdos também], respirei ar puro, voltei a fazer Yoga, andei de bicicleta, dei o primeiro mergulho do ano, vi o pôr do sol todos os dias [porque as coisas mais simples da vida também são bonitas], petisquei, aprendi novas receitas com o Chef Chakall, andei de baloiço com os meus filhos, revigorei-me e convivi com outras pessoas [algumas trago no coração].










 Esqueçam aquilo que dizem sobre não repetir sítios felizes porque não será igual e bla bla bla. É tanga. Sou a favor de voltar SEMPRE aos sítios que nos fazem bem e somos repetentes do ZMAR já há muito tempo. Além disso a programação temática para o Dia da Mãe é todos os anos muito interessante.


Além disso fica no litoral alentejano que para mim é a melhor localização de Portugal e com as praias mais bonitas, como a de Odeceixe ou a do Carvalhal logo ali a poucos quilómetros. Acabámos por só sair de lá uma tarde para ir a Odeceixe porque os miúdos são loucos pela piscina interior aquecida [e com ondas de hora a hora]. O Xavier incluído, estava curiosa para ver qual seria a reação dele à água e confirmei as expectativas, adora e é aquilo a que se chama de um pato autêntico.


[pôr do sol no Kiosk Agapito em Odeceixe]




O ZMAR vale a pena? 


Foi a pergunta que mais vezes me fizeram no fim de semana.

Para mim, como mãe, a grande vantagem do ZMAR são as infraestruturas, pensadas para famílias, que não só nos facilitam a logística das férias como nos permitem dar alguma liberdade aos miúdos, pois existem muitas zonas de lazer. Apesar de estarmos dentro de um Eco resort e “confinados” a um espaço, não existe monotonia no ZMAR. Os dias fluem e há sempre algo giro para fazer: piscina exterior, piscina coberta aquecida com ondas, aluguer de bicicletas ou triciclos, animação sazonal, quintinha pedagógica (há 15 dias nasceram cabrinhas bebés), ateliers para os mais novos no ZKids, parque infantil (tão diferente dos habituais e com consciência eco). Aliás, todo o resort dá bons exemplos de sustentabilidade. Os meus meses preferidos para lá ir são maio, junho-julho e setembro. Também já fui la no S. Martinho e gostei muito.












É fácil fazer férias com bebés no ZMAR? 


É do mais prático. Conseguimos andar com o carrinho em todo o lado, não há escadas chatas. O restaurante tem cadeirinhas para os bebés, os WC´s têm fraldário, os bungalows têm cozinha equipada (só não tem forno), por isso, quem viaja com bebés pode preparar as suas refeições, e para além das duas piscinas, existe uma piscina infantil exterior com pouca profundidade para os bebés se refrescarem. É um sitio pensado para todos usufruírem.
É como disse, já fizemos muitas férias e muitas escapadinhas ao Zmar e a sensação no regressso é sempre a mesma… é para voltar (e acho que isto resume tudo).










Como fizemos com as refeições? 

O mais prático possível. Quando se está de férias a palavra de ordem é descomplicar. Para o Xavier levei boiões de refeições e fruta de uma marca totalmente bio e sem corantes, que acabei de conhecer, a Smileat, e correu lindamente. Recomendo experimentarem se estão a planear férias com bebés.




Para nós, pequeno-almoço reforçado e refeições simples à base de saladas e sopas. O restaurante do ZMAR também é muito bom e tem muita variedade, desta vez não experimentámos mas já conhecemos bem. 

Se quiserem sair para petiscar, recomendo o Kiosk Agapito mesmo na praia de Odeceixe. Aproveitem para petiscar ao por do sol. Tem uma envolvência única. 



Não podia ter tido um Dia da Mãe mais feliz!




[ eu no Zmar com o Duarte com 2 anos, antes dos 30! e ainda sem existir o Xavier ]


Outras dicas:


- Para famílias optem pelos alojamentos T2 pois são mais espaçosos.

- Levem boia ou braçadeiras para os miúdos porque eles não vão querer sair das várias piscinas.

- Aproveitem os balneários da piscina de ondas para lhes dar logo duche no final do dia com água quente (menos uma tarefa no Bungallow antes de jantar).

- o Zmar está equipado com camas para bebés, basta pedirem na reserva.


Outros posts sobre o ZMAR que podem querer ler:

Veraneando por ai

Zmar: o destino amigo dos bebés e crianças

Sítios que nos aquecem o coração

Beijos