Ontem saímos para comprar a vela de aniversário para o teu bolo e dei por mim a escolher uma vela com o número 3, com bolas de futebol, como tanto gostas. E se não fosse o teu pai a dizer-me "mas onde vais com isso?...ele faz 6 anos!" muito provavelmente teria vindo aquela, ao engano do coração que te quer sempre pequenino. 

É que para mim tu ainda agora nasceste. Para mim, nós ainda estamos no recobro a cheirar a pele um do outro. Para mim, ainda te embalo ao fundo da cama enquanto lutas contra o sono. Para mim, ainda te estou a levar à primeira consulta de pediatria para te pesar. Para mim, ainda te estou a dar a primeira sopa ou a ver-te dar os primeiros passos. Para mim, ainda te estou a ouvir a dizer pela primeira vez "mamã". Para mim, ainda te estou a segurar o baloiço no parque. Para mim, ainda te estou a ver correr pela primeira vez atrás da bola. Para mim, janeiro a janeiro tem sido muito rápido. 

E hoje, são 6 anos de ti...

...caramba! Fazes 6 anos hoje. Como é que sinto que aproveitei tanto este tempo e ao mesmo tempo não aproveitei nada? A maternidade prega-nos esta partida do tempo nos escapar entre os dedos. Ainda ontem era 21 de janeiro de 2013 e eu era uma menina a conhecer o primeiro filho, e hoje já é 21 de janeiro de 2019 e para além de ti, já existe outro filho. Viemos de foguetão até aqui. Esta viagem no tempo está a ser rápida demais.

És o primogênito. O filho fácil que me deu o parto difícil. O filho que me abriu o caminho do verdadeiro amor e da dimensão do apego. O que me mostrou que não há dias maus quando um sorriso nos espera ao final do dia. Já não és um bebé, nem um menino, já és um rapazinho cheio de gostos e vontades. De bebé a unica coisa que preservas é a capacidade de sorrir com o olhar e essa alegria tão contagiante. Que nunca percas esse lado genuíno! 

Há 6 anos que, ali naquela sala de parto confusa, com pessoas a mais e máquinas a apitar, te doei o bater do meu coração! Feliz Aniversário, filho! Ainda bem que ficamos cá os dois para somar aniversários juntos.

Que seja um dia muito feliz, tal como tu és!

1

#2019 vai com calma!

09 janeiro 2019



Finalmente sinto-me em 2019! 

Acho que este foi o ano mais farrusco de todos a começar, não me aqueceu nem arrefeceu, e eu até costumo ser bastante introspetiva na passagem do ano, quase sempre me dá para o sentimento, mas olhem simplesmente não tive tempo para 5 minutos de reflexão porque tinha o cérebro a cozer.

Dia 30 já cá habitava uma febre, que eu achei que combatia com brufen e benuron. Mas a bitch era das más e só piorou. E assim uma valente infeção respiratória fez-me refém em casa até domingo, dia de Reis. 

Bem sei que já se passaram mil e uma coisas nos entretantos, que a presidenta Cristina já tomou posse na SIC, que a TVI está debaixo de fogo porque deu tempo de antena ao cidadão Mário Machado, que já se discutiram os trapos dos Globos de Ouro e a barriga da Rita Pereira 10 dias após o parto, que já ninguém se lembra dos objetivos definidos para 2019 porque após o primeiro treino de glúteos no gym a pessoa cedo se arrepende. Mas olhem, cá estou eu a iniciar o ano fiscal deste blog que é sabido faturar milhões (gargalhada de fundo) e como tal não posso deixar a máquina parar (lol). 

Voltando aos objetivos que não tracei. Com o tempo aprendi que a melhor forma de gerir a ansiedade é não a alimentar com expectativas. Quanto mais anos passam, mais comprovo que o melhor da vida acontece de forma espontânea e não com datas fixas. Por isso, aqui estou eu, pela primeira vez sem traçar grandes metas, pronta para abraçar um novo ano onde só peço saúde, que foi o que já correu mal.

Como pessoa que sou, com os pés bem assentes na terra, mais do que objetivos que ficam bonitos em papel, tenho é necessidades (várias). Preciso reencontrar-me após estes meses totalmente dedicada ao mais novo, sob pena de dar em maluquinha, mas isso é uma tendência natural do pós-parto e não necessariamente uma meta de 2019. Preciso e quero voltar ao Yoga e ao Body Balance para manter equilibrada a ansiedade. E pelo meio, cuidar de mim! Olhar para a minha saúde oral e visual (coisas que se alteraram com a gravidez e que são prioridades neste momento). De resto espero conseguir continuar a comer bem 90% das vezes, fotografar por prazer, ver os miúdos crescer, bufar sempre que a casa está o caos, rezar para que o mais novo durma noites completas, conseguir vir aqui mais vezes do que no último ano (pelo menos), sonhar acordada e deixar fluir.

E porque quis a vida que janeiro fosse um mês especial, já ando aqui a tentar apanhar o comboio para organizar a festa de anos do mais velho, que já faz 6 anos! COMOASSIM?! Eu ainda vejo filmes dele bebé e acho que foi há 3 semanas!! Esta passagem do tempo é assustadora! Com esta história de andar a brincar aos virus, este ano deixei-me atrasar com tudo mas estou a tentar não “panicar”.

Posto isto, queria só mesmo desejar um Bom Ano a quem nos acompanha, pois mesmo com este deelay, o ano ainda é um recém-nascido e temos 356 dias pela frente!