Ontem tirei o dia para organizar a vida e tratar de uma série de "pendentes": matrícula do Duarte, consulta de oftalmologia, corte de cabelo (urgente) e consulta de rotina de pediatria (marcada há 6 meses e quase esquecida na agenda).   

Sai de casa pela manhã com tudo o que é suposto uma mãe levar atrás para um dia fora de casa com a cria. Água, iogurtes, bolachas de duas qualidades, brinquedos SOS, casaco, lista de perguntas para fazer à pediatra e até... chapéu de chuva! Pelo caminho aquele feelling de me estar a faltar qualquer coisa que me fez torcer o nariz por não estar a conseguir visualizar o que era, mas que também não me impediu de continuar. Devia ter partilhado com o Diogo, talvez ele se lembrasse o que me poderia faltar, mas sai de casa a correr e achei que era qualquer coisa supérfula. 

- Matrícula - OK 

- Corte da gadunfa - OK

- Check up de oftalmologia - OK (mas para repetir)

- Intervalo entre consultas para compras no supermercado qual dona de casa organizada - OK

- Consulta de Pediatria - hummm!

Qual é a mãe que vai para uma consulta de Pediatria sem levar o boletim de saúde da cria? Moi même! Qual é a mãe que só percebe isso após a Dra. dizer "pode-me passar o boletim do Duarte?" Moi même! E o pai com ar de espanto a olhar para mim pois é algo de que nunca me esqueci, afinal de contas é para isso que lá vamos gastar uma nota - para validarmos se está tudo OK e apontar tudo naquele caderninho que lhe pertence desde o primeiro choro e que guarda a saúde dele religiosamente. 

Por mais cool que a nossa pediatra seja, isto é como levar uma nódoa acidental na camisa no primeiro dia de trabalho, ficamos logo ali categorizadas como as despassaradas. Até porque não consegui conter o meu ar de espanto - o quê? ahhh o boletim dele, pois... coiso ... ficou em casa, nem me lembrei, não sei como..." e só me enrolei ainda mais! Puro esquecimento, nada a abonar a meu favor.

E como é que uma mãe se safa disto? Mostrando que a cria está super desenvolvida (mas que sabe-se lá porquê, decidiu não pronunciar uma unica palavra até meio da consulta) e que até já gosta de matemática e letras. Ah e que apesar de ainda beber biberão de manhã (pronunciando isto em direção ao chão) já fez finalmente o desfralde nocturno há uns 4 meses e gosta de sopa e bróculos.  

Depois... bom... foi só agradecer a organização da pediatra, que tinha tudo apontado na fichinha pessoal, como se o filho lhe pertencesse (shame on me), validando a hipótese da consulta prosseguir com registos improvisados até à próxima consulta aos 5 anos. Calhou-lhe a versão de Duarte tímido e poucas-palavras, com muita vergonha, pela primeira vez, de estar despido na presença de um estranho e que custou a desemperrar (não me defendendo em nada no que dizia respeito ao desenvolvimento lol). Só no fim falou da escola, da praia e das nossas tartarugas. Mas, ainda assim, no geral, impecável em tamanho, peso e desenvolvimento. A terminar em bom o que começou morno. 

Quanto a mim, acho que a única saída para não me achar péssima mãe é rir da situação e ir comprar Memofante, u.r.g.e.n.t.e.m.e.n.t.e !

Quem gosta de jogos?
Há pequenos curiosos por aí?

Por aqui tenho um amante de letras e números que já só quer jogos de estímulo e fichas pré-escolares para fazer. Às vezes acho que ainda é cedo, que ele se devia enamorar mais um bocadinho dos carros e dos super heróis já que parte da vida vai ser passada na escola (assim espero), outras vezes acho que se ele quer e pede esses estímulos é porque gosta mesmo e já lhe fazem falta. 

A título de exemplo, os intervalos entre as idas para a praia nas férias de junho foram todos passados ou com ele a pedir contas de somar e subtrair num caderno A4 ou a escrever nomes de animais, pessoas, brinquedos - e eu só pensava "eu aqui a querer descansar a cabeça e ele a querer puxar pelo raciocínio", que desencontro de vontades! 

A partir daí senti falta de lhe comprar novos jogos para lhe fazer a vontade de aprender mais, como os da Clementoni que nos têm ajudado nesta fase de descoberta e sede de conhecimento. 

Hoje, mesmo a tempo das férias grandes, temos 3 jogos diáticos para oferecer aqui no blog, em parceria com a Clementoni:
    Para se habilitarem a ganhar, basta seguirem estes 3 simples passos:
1. Seguirem o blog no Instagram e Facebook;
2. Seguirem a Clementoni no Facebook;
3. Fazer partilha pública do passatempo;
4. Preencherem o questionário abaixo.

Boa sorte!
0

#MOTHERHOOD!

25 julho 2017


Gosto de desafios e estava desejosa de vos poder mostrar o resultado da minha parceria com a Pura, uma coisa que nasceu numa conversa ao acaso entre alentejanas e resultou numa peça que adoro! 

Pelo meio, ela desafiou-me a personalizar uma Tee e, sendo umas das peças que mais gosto de usar com saias plissadas ou mom jeans, não resisti. Podia ter escolhido mil statements diferentes, mas mal cheguei a esta frase ficou decidido. Encaixa na minha pessoa, afirma a minha identidade. Sinto-me na minha pele com ela vestida, pela minha forma de estar, pelo reason why do blog, por transmitir boa onda e por estar sempre aqui neste formato de "motherhood virtual" quando me fazem perguntas sobre roupa, receitas, viagens, livros, cremes, o que for! Não gosto de blogs distantes e de pessoas inacessíveis, vejo e sempre vi as pessoas à minha volta como iguais a mim, mães e mulheres com as mesmas rotinas, problemas e sonhos. Temos que ser umas para as outras, não é?  

Além do statement tem ainda a hastag divertida #coolmomsgang que achei que resultava e ainda lhe dá mais carácter. Nestas fotos não se vê porque decidi conjugá-la com esta saia-calça de cintura subida super prática da Shein (finalmente resolvi experimentar as roupas desta marca online que tanto vejo por aí, e não, não fui patrocinada). Para começo de relação, gostei muito do material e adoro o formato clássico vs descontraído que dá ao look, além de ser perfeita para os agachamentos que uma mãe tem que fazer sempre que anda com a cria atrás, seja para limpar o ranho ou atar os cordões dos ténis. Na realidade esta saia-calça vem com um top a fazer pendant (podem clicar no link das fotos para ver como é conjunto completo), eu é que gosto de quebrar as regras e preferi estreá-la logo com a minha Tee preferida do momento. 


[Cliquem na imagem para mais informação]



A Pura é uma marca 100% nacional que nasceu pelas mãos da Ines de Castro Vargas que transformou o sonho em realidade. Tem roupa para mulher, homem e criança e procura oferecer peças de vestuário únicas, que não sejam iguais a um milhão de outras mais e que transmitam personalidade. É caso para dizer, whoa!! 


Se gostarem e quiserem comprar esta Tee, cliquem aqui. (juro que não tenho comissão)! 

Beijos,


Todas as vezes que nos sentamos no consultório da pediatra do Duarte para consulta de rotina, surge a mesma pergunta do outro lado da secretária:

- Então e onde é que o Duarte dorme?
- Na nossa cama (respondemos, com desvergonha, essa fase já vai longe)
- Existe alguma razão? (pergunta ela)
- Porque ele gosta, e nós também (respondemos nós)
- Tudo bem, desde que estejam todos felizes com essa escolha é o que importa (…). 

Gosto dela. Da nossa Dra. Rita. Não faz juízos de valor. Não lança olhares reprovadores. Faz-nos sentir pessoas normais dentro da nossa opção. E não é o que somos? Pessoais normais cheias de amor pelo ser humano que originámos. Se queremos dormir todos juntos em matilha, que assim seja. Não estamos a cometer nenhum crime contra a humanidade. Aliás, nos tempos antigos era assim que as famílias dormiam. As mães ficavam junto dos bebés para amamentar. Foram as mudanças culturais, sociais e antropológicas que “empurraram” os miúdos para os seus próprios quartos.

Atenção, não tenho nada contra quem coloca os filhos para dormir nos próprios quartos, pelo contrário, até admiro, pois nunca fui capaz de criar (ainda) essa rotina e acredito piamente que depois de criado o hábito todos podemos dormir descansados. Mas, por enquanto, a verdade é que me sabe muito bem tê-lo por perto. Ali aninhado a mim.

Vejo o co-sleeping como um facilitador dos nossos sonos. O Duarte sempre adormeceu tarde, nos primeiros meses não me lembro de um único dia em que ele tenha adormecido à “hora dos bebés”, agora, só dorme a horas quando tem um dia super cansativo, e para ser super cansativo tem que envolver atividades extra, futebol, ginástica ou natação, só a creche não chega para o fazer “tombar”.

Para algumas pessoas co-sleeping é um problema, para outras é um segredo bem guardado ou uma vergonha da maternidade que preferem esconder. Parece que há uma obrigação em sermos pais perfeitos, que cumprem tudo by the book. Tou nem aí. É certo que os miúdos se mexem muito, transpiram muito, fazem barulhitos de toda a espécie a dormir, têm pesadelos, geram noites mal dormidas. Bom… por essa logica na cama deles isso tudo também acontece e também temos que nos levantar para os ir monitorizar.  

Por enquanto, estamos bem assim. Já me habituei a ter aquele 3º corpo entre nós. A sentir as mãos gordinhas dele a tocar no meu rosto quando quer adormecer, tipo lapa. A acordar e ficar a contempla-lo enquanto ainda dorme. E sei que já não durará muito mais. Percebo isso sempre que acordo e realizo que antes ele preenchia um espaço mínimo na cama e agora já temos que nos ajeitar melhor para cabermos todos. Ele está a crescer e nos estamos a queimar os últimos cartuchos deste nosso capricho. 

A maternidade é feita de escolhas e de experimentalismo. Mais acertadas ou não. Esta foi a nossa escolha. É por opção que o fazemos e acredito que existam muitos mais casais assim. Houve uma fase em que me senti falhada por não o estar a conseguir habituar ao quarto dele. Por não lhe conseguir incutir uma rotina do sono. Sentia-me diferente e menos capaz do que as outras mães. Menos persistente, menos competente nesse aspeto da educação e da criação de hábitos. Agora, relativizo bastante este nosso hábito e até acho um disparate ter queimado alguns neurónios à conta disso. É uma escolha válida a que os pais têm direito. Além disso, o nosso co-sleeping não é imposto até porque quando queremos, colocamo-lo no quarto dele para dormir e ele fica. Simplesmente preferimos assim, uns dias tudo ao molho, outros dias (poucos) em quartos separados.

E as consequências? Será que as há? Não nego, nem afirmo. Não tenho conhecimento para tal, não é a minha área. Sei apenas que comigo a questão do sono foi dura. A minha mãe sempre me habituou a dormir sozinha e não foi por isso que não tive pesadelos. Ganhei fobia ao escuro, passei a ter medo de estar no meu quarto e dei muitas noites mal dormidas aos meus pais à conta disso. Ela fez comigo o que achou correto e o que a sociedade lhe impôs – um berço, um quarto, um sitio próprio - rotinou-me para dormir no meu quarto, cumpriu o protocolo todo e nunca correu bem. Já era adolescente e ainda lhe pedia para ela vir para a minha cama. Por isso, não acredito que por estar a fazer o oposto isso possa de facto originar consequências. Conheço os riscos, mas cada ser humano é único e não existem ciências absolutas do sono.

Sabem como termina a frase da Dra. Rita? É clichê, mas pura verdade:

- (…) nunca vi um miúdo dormir até aos 18 anos com os pais (conclui).

Simples assim.

Texto orginal publicado em Mães.pt




Aos senhores do marketing dos supermercados, por favor, parem de alterar o layout das lojas sempre que já decorámos todos os corredores e prateleiras onde estão os nossos alimentos preferidos, necessários e essenciais ao nosso bem-estar. Não imaginam o quanto isso pode ser uma experiência cansativa e irritante. A pessoa vai só comprar meia dúzia de coisas para reabastecer e quando dá por ela está numa espécie de labirinto de grau avançado vs jogo de adivinhação "onde é que será que eles agora meteram o atum?", "humm...e o pão... agora ali é o... talho!!?".


Isto é cruel senhores, de repente o sitio onde já batíamos o record de tempo a fazer compras transforma-se nas 24 horas de Le Mans connosco de carrinho em punho a dar voltas e voltas ao circuito com a rotação no máximo para conseguirmos reunir todos os... 5 ingredientes de que precisávamos para fazer o Atum à Brás para o jantar!! Já não basta a dura tarefa de, sempre que vamos a um supermercado, não nos esquecermos de nada, porque isto depois da maternidade já não é o que era e não há Memofante que nos valha, como ainda temos que andar perdidas e a repetir silenciosamente a lista enquanto andamos ali desnorteadas a apalpar terreno. E aí de alguém conhecido que nos apareça à frente, dizemos "olá, tudo bem'" e pufff... já se nos escapou uma das coisas em falta porque estamos a assimilar demasiada informação ao mesmo tempo. 


Foi isto que me aconteceu ontem à noite no "novo" Continente do Loureshopping quando resolvi fazer uma paragem "rápida" depois do trabalho. Era para ter ido ao de Alvalade, mas pensei "naaa, vou ao do costume que é mais rapido". Mal entrei e avistei a mudança exclamei logo um "ui, isto vai ser bonito Mónica Raquel" enquanto o meu cérebro decidia se ficava ou se ia embora porque o tempo era já era contado. Fiz-me de forte e avancei. Senti-me a miúda pequena que ao invés de se perder dos pais, perdeu a comida nos novos corredores. E sim, até vi um amigo ao longe e não lhe fui falar porque, pelo ar dele, estava tão perdido quanto eu e eu tinha uma cria para alimentar, não me podia meter em mais nenhum contratempo do que aquele em que já me tinha ido enfiar. Sobrevivi, com ajuda das placas identificativas verticais e da colaboradora com que me cruzei, mas vim sem os meus iogurtes preferidos porque depois de duas tentativas para encontrar o corredor dos lacticínios sem sucesso, agarrei-me à primeira e único ilha de iogurtes que me apareceu à frente - e já não foi mau, pelo menos até estavam em promoção. O pão, nem o fui procurar.  Se isto for para a malta ir experimentado coisas novas até resulta, é essa a ideia? Obrigar a novos hábitos de circulação na loja? É que por enquanto ainda  não acho que o novo layout esteja nem "para melhor" nem para "estar mais próximo do consumidor e melhorar a experiência de compra" como dita a modernização do consumo. Mas, como a obra ainda não está concluída, e não quero ser injusta até porque acredito que quando se muda é com vista a melhorar (por ex, o Loureshopping está renovado e bem giro) vou dar o beneficio da dúvida e agarrar-me às compras no Continente online que nunca falham! 


Não sei se acontece o mesmo com vocês, mas eu só "sei" e só gosto de fazer compras no "meu" supermercado habitual. Gosto de sentir que tenho a tarefa sob controlo, que vou lá entrar e sair com tudo o que preciso porque mesmo que não leve escrito, está sempre ao pé daquela outra coisa que também compro sempre na prateleira y do corredor x. Nem todas as rotinas são más e criam desinteresse. Há rotinas úteis e conhecer o "nosso" supermercado de uma ponta à outra é das coisas mais facilitadoras para o dia a dia de uma mãe de família. Agora lá vou eu ter de redecorar tudo novamente para daqui a uns tempos voltar a acontecer o mesmo. 

Digam-me, sou só eu que detesto quando isto se dá?

Boa sexta-feira!



Encarem este post como serviço público para todos os pais que, como eu, a meio da semana já andam a planear o que vão fazer no fim de semana para entreter a pequenada enquanto não chegam as desejadas férias, os mergulhos e as bolas de berlim. 

Felizmente são cada vez mais as iniciativas que vão surgindo para atenuar a silly season e, a meu ver, não nos podemos queixar de falta de programação pensada para as famílias de norte a sul. O que por vezes acho difícil é estar atenta e conseguir apanhar tudo o que se passa (alguém com uma cabecinha fresca, não privada do sono, que crie uma app sff). E porque tenho mau feitio e bato o pé quando me escapa alguma coisa gira, mesmo nesta era digital, esta semana resolvi ser pomba-correio e reunir algumas atividades "Must Go" com as crias que vão desde música, construção, leitura e até oportunidades de consumo.

ACTIVIDADES MUST GO:

22 e 23 de julho
NICK FEST
Fórum Montijo

O primeiro festival do canal Nickelodeon - o Nick Fest - vai acontecer este fim-de-semana e conta com vários concertos, jogos, passatempos e animação para todas as idades.
No palco do Nick Fest, entre as 17h e as 00h de sábado e domingo vão atuar nomes como David Carreira e Os Aurora. Para os mais pequenos, como o Duarte, a loucura vai-se instalar com a presença dos heróis da Nickelodeon no recinto, nomeadamente o SpongeBob e o seu companheiro Patrick, a dupla canina Marshall e Chase, da Patrulha Pata, e ainda as Tartarugas Ninja: Miguel Ângelo, o Leonardo, o Donatelo e o Rafael. Estou tentada a ir, só para lhe poder dar a alegria de ver a Patrulha Pata à solta!

23 de julho
"MIÚDOS ALEGRO" CÃES & LIVROS
Alegro Alfragide

Já falei desta iniciativa esta semana. Uma actividade para pequenos leitores, a partir dos 6 anos, que vai contar com a presença de amigos de 4 patas da R.E.A.D Portugal - uma associação representante oficial do programa Reading Education Assistance Dogs (R.E.A.D), desenvolvido para melhorar as competências de leitura e as capacidades de comunicação através de um método diferente: ler para um cão! Desta forma, os pequenos podem treinar a leitura ao mesmo tempo que se libertam da tensão habitual de ler em voz alta em público. 

Está cientificamente provado que a interação com animais pode ser um excelente apoio para ajudar as crianças a ultrapassarem dificuldades de leitura e comunicação. Acontece a partir das 15h, no Alegro Alfragide, apontem na agenda!

23 de julho
OLX LIVE MARKET BEBÉ E CRIANÇA
Avenida da Liberdade 

Pois é, leram bem! O mundo virtual do OLX vai sair à rua com o 1º mercado ao vivo e a cores e que vai ser totalmente dedicado à área de Bebé e Criança. 

Grávidas, avós, tias, madrinhas, este "must go" é para todas as que andam à procura de oportunidades. Roupa, calçado, carrinhos de passeio, mochilas, preparação alimentar, segurança, pequenos moveis, são os produtos que a organização revela que vão estar presentes e que me sinto tentada a ir ver.

Não sei quando a vocês, mas sou uma pessoa que recorre ao OLX com frequência quer para comprar quer para vender. Por exemplo, a banheira com pés para os primeiros meses do Duarte (vendida no OLX como nova), a Bomba de amamentação automática xpto da Medela (comprada e posteriomente vendida no OLX ainda com garantia!), o escorrega da Feber com sistema de água (comprado no OLX por 30€ sem qualquer marca de uso), os meus Adidas (novos em caixa) e por aí fora. Já comprei e já vendi. Achados e boas oportunidades são comigo, não tenho grandes problemas com o fator 2ª mão!
Entre as 10h e as 19h vão estar montados 40 espaços de venda, sendo que 20 deles vão contar com a presença de marcas portuguesas de referência com produtos outlet - ou como gosto de lhe chamar - com produtos smart shopping com o beneficio de podermos ver em mãos aquilo que normalmente vemos por fotos. Aqui fica a lista da perdição:

Amor às Cores
BauMilha
Conta-me um Conto
Levada da Breca
Lucy´s Kids
Mamã dá Licença
Manana
Maria Design Kids
Match Kids & Babies
MIM-Store
Nós e Tranças
Orquídea
Petit Roi
Shoe Colours
Sweet Babies
Suuim
The Blonde Mustache
Le Petit Portimão

Segundo percebi podemos (e devemos) levar os miúdos pois vai haver música, animadoras infantis, palhaços, pinturas faciais, atelier de desenhos, modelagem de balões e ainda um jogo da Roda da Sorte OLX, com oferta de prémios.

Mas o pior ainda está para vir, dia 9 de Setembro decorrer a 2º edição sobre o tema Moda, e dia 30 de Setembro o mercado será sobre Decoração (o meu coração palpita por este!).  

On going (até 31 de agosto)
BRInCKa, SEA LIFE PORTO

O SEA LIFE do Porto (que ainda não conheçemos) em parceria com a LEGO desafia os mais novos durante o verão a realizar construções relacionadas com o mar e também com a própria invicta, como a Torre dos Clérigos, o eléctrico, os autocarros antigos, o rio Douro, etc. Existem 50 mil peças  LEGO disponíveis!!!

Além disso, o espaço exterior também conta com uma playzone para os pequenos darem asas à criatividade e todas as semanas, as melhores construções são premiadas com kits LEGO.


Bom, acho que por este fim de semana, já chega!

Onde nos vemos? :)

Esqueçam os croissants, os scones, os ovos mexidos, as compotas e os sumos naturais. Descobrimos o melhor brunch de verão em Lisboa e vai bem é com imperia(s). 

O motivo era de celebração - fazíamos anos de casados - e queríamos algo diferente para fugir à rotina do "ir jantar fora". Ouvimos falar do brunch de marisco do Pesqueiro 25 e pareceu-nos uma ideia a explorar - marcámos para domingo!
Fica na rua Cor de Rosa, no Cais do Sodré, onde curiosamente nunca tinha estado em plena luz do dia e muito menos com o Duarte que também nos acompanhou, qual lapa bebé que não larga o seu ecossistema. 
O restaurante situasse no 1º andar do novo hotel 262 Authentic Suites, mesmo em frente ao mítico Jamaica que é o melhor ponto de referência que posso dar a toda a geração boémia dos anos 80`s e 90´s. Mal entrámos e fomos recebidos pelo chefe marisqueiro João Diogo Mendes percebemos que é um espaço acolhedor, sem o elitismo típico de algumas marisqueiras em Lisboa. É tão bom comer boa comida em ambientes descontraídos sem aquela formalidade aborrecida que nos faz estar colados à cadeira como se estivéssemos na escola a ser avaliados pelo bom comportamento ou pelas regras de etiqueta. 

Para mim as refeições são para socializar, por isso quanto melhor for a atmosfera melhor e mais descontraída é a refeição. A do Pesqueiro 25 é esta: portadas abertas a deixar entrar o sol, música ambiente ao invés do ruído de fundo de uma TV e uma decoração acolhedora que desvenda o aproveitamento histórico do edifício como os tabiques usados na construção pombalina (sou uma apaixonada por estes detalhes) e uma mistura de elementos madeira com peças contemporâneas e sóbrios pormenores de pesca e mar. O menu é tentador e a carta de vinhos inclui alguns dos meus vinhos brancos preferidos para acompanhar marisco, como o Lagosta e o Herdade dos Grous Branco. Mas foquemo-nos no brunch -  o motivo que nos levou lá e o motivo que originou este post – porque a vida não são só babetes e birras e porque existem experiências positivas que merecem ser relatadas pela sua qualidade.




O Brunch – o que inclui?

Starters: 
Pão torrado
Presunto de pata negra cortado na hora de servir
Fruta da época (calhou-nos manga, ananás e kiwi)
Picadinho de búzios 

Seafood:

Começam a chegar as tábuas de marisco, foi-nos explicado que a oferta varia em função da disponibilidade e tendo sempre presente a frescura máxima do produto! Como erámos só dois, ao invés da típica tábua de marisco com tudo, aceitamos a sugestão do chef Cesar Lourenço de ir trazendo para a mesa os preparados à vez, garantindo desta forma a degustação au point, com o marisco acabado de preparar. 
O que incluiu a nossa “tábua”:


Camarão à la guillo
Camarão de Moçambique
Camarão Carabineiro
Sapateira (bem recheada)
Amêijoas à Bulhão Pato




Tudo isto pode ser acompanhado por dois copos de vinho, duas imperiais ou dois refrigerantes por pessoa, água e café. Optámos, como já revelei acima, pelas imperiais pois claro! 
Para finalizar, não fazia parte do menu, mas não resisti a provar um extra: a sopa de lavagante com ovos, que é o ex-líbris do primeiro restaurante Pesqueiro 25 que nasceu em São Martinho do Porto – divinal!


A sobremesa:

E quando achamos que o estômago já não dá para mais, lançam o anzol final com um isco irresistível: a pescaria final (a sobremesa), que pode ser composta por sobremesas do dia ou fruta, tivemos que pedir ambas pois o petiz estava connosco e queria cerejas! 
Pão de ló (divinal)
Mousse de morango
Mouse de frutos silvestres (feitas na hora)
Cerejas 

Resumindo: Pão torrado, Presunto de pata negra, Fruta, Picadinho de búzios, Camarão à la Guillo, Camarão de Moçambique, Camarão Carabineiro, Sapateira, Amêijoas à Bulhão Pato, 2 imperiais por pessoa, pão de ló, mouse de morango e mouse de frutos silvestres é tudo o que podem comer, de 3ºf a domingo, das 11h as 15h, por 41.25€ por pessoa. Acreditem, ficam muito bem servidos.
O Duarte (ainda) não é apreciador de marisco e tive algum receio de o levar, mas como sou uma pessoa descomplicada achei que certamente haveria solução para ele – e claro que havia! Deliciou-se com um prego do lombo servido com batatas fritas que só não provei porque sinceramente não tinha espaço para mais. 

Para além das opções de marisco, o restaurante tem também opções de carne muito tentadoras como o Pica Pau do lombo ou o Bife do Lombo à Pesqueiro 25, por isso, se o marisco não for a vossa praia, não deixem de visitar o espaço até para jantar antes de uma noitada com amigos. 

Morada: Rua Nova de Carvalho, 1200-161 Lisboa
Beijos,

Já têm planos para o fim de semana? Tenho uma sugestão bem patusca!

Dia 23, domingo, a partir das 15h00 o Centro Comercial Alegro Algragide vai promover uma ação diferenciadora para os mais novos onde vai juntar “Cães e Livros”.

A interação com os animais pode ser um excelente apoio para ajudar as crianças a ultrapassarem dificuldades de leitura e comunicação, uma vez que são ouvintes calmos e, ao contrário das outras crianças e dos adultos, não intimidam nem julgam quando há um engano na leitura. Lembro-me tão bem de em miúda ler os livros da Anita ao pé do Bobby do meu avô e não podia estar mais de acordo com esta visão.

A ação é dirigida a crianças maiores de 6 anos que já saibam ler e vai contar com o apoio de uma equipa de especialistas da Cães&Livros - a R.E.A.D Portugal - uma associação representante oficial do programa Reading Education Assistance Dogs (R.E.A.D), desenvolvido para melhorar as competências de leitura e as capacidades de comunicação através de um método diferente: ler para um cão! 

Em sessões de 10 a 15 minutos, os leitores de palmo e meio vão ler para dois amigos de quatro patas da R.E.A.D, treinados para o efeito e que adoram uma boa história! Giro não é? 
 
O Duarte ainda não sabe ler, mas se soubesse iamos certamente (a foto nem precisa legenda não é?)!

Atenção: convém fazer inscrição prévia!



Durante as nossas férias em Odeceixe recebi muitas mensagens de leitoras com pedidos de sugestões para onde ir de férias com miúdos. Creio que já consegui responder a todas em privado (acusem-se se estiver em falta com alguém) com as minhas dicas dentro daquilo que têm sido as nossas melhores experiências. 

A mensagem mais engraçada que recebi foi uma que dizia que eu descubro paraísos. Longe disso, simplesmente gosto de fugir ao turismo de massas e pesquiso bastante tudo o que é alternativo e é para lá que, sempre que posso, fujo. Já aqui referi anteriormente que sou mais de turismo de natureza do que de resorts nos spots da moda. A maioria dos locais que gosto e que podia referir aqui já estão esgotados para agosto (já nem eu vou a tempo), por isso, só iam perder tempo ao booking caso eu aqui os listasse (fica para o ano). 

Normalmente para conseguir vaga nos sitios que preferimos optamos por fazer o período de férias maior em junho e reservamos o agosto para ir de férias com os nossos pais (avós), até porque agosto é o mês da inflação e sou honesta, custa-me pagar por uma estadia cá o mesmo que pagaria por uma ida a Palma de Maiorca ou Menorca em TI. 

Mas, por ser um tema que desperta tanto interesse e porque gosto muito de turistar e planear escapadinhas, deixo-vos algumas dicas para sobrevierem aos preços de agosto sem perderem a qualidade das férias:

1. Fujam dos locais da moda (Portimão, Comporta, Albufeira, Monte Gordo, etc);
2. Explorem locais alternativos e igualmente bons (Cerca, Aviz, Crato, Montargil, Zambujeira do Mar, Almodôvar, Reguengos de Monsaraz, Évora, Minas de S. Domingos, Óbidos, Castelo Branco, Campo Maior, Ferreira do Zêzere, etc, etc.)
3. Procurarem hotéis rurais ou casas para alugar no booking ou Airbnb;
4. Criem listas de preferências no booking com os vossos hotéis preferidos e vão pesquisando semanalmente como anda a oscilação de preços, às vezes há ofertas secretas com valores de -30% ou oportunidades que surgem a partir de desistências.
5. Explorem pontos de interesse com praias fluviais e outros monumentos históricos, não temos que nos cingir apenas ao litoral e às praias;
6. Deem uma oportunidade aos parques de campismo, há por aí muitos com Bungallows, mini casinhas e à beira mar plantados;
7. Recorram aos postos de turismo (peguem no telefone), a maioria das casas para alugar não está anunciada na net porque os donos não têm interesse em pagar taxas de permanência nos motores de busca.

Deixo-vos algumas sugestões de locais kids & family friendly:

[1]
Casa Rico Frade



[2]




[3]
Hotel O Gato




[4] 
Monte das Texugeiras 




[5] 
Bukubaki Eco Surf Resort 

Novo em folha e a estrear!



 
[6]
 Agroturismo Xistos

Aqui fazem-se passeios de balão de ar quente!




[7]
Herdade da Rocha 

 



Como extra, podem sempre ler os reviews dos sítios por onde já passámos e que são indicados para ir com filhos (e tentar a sorte):

Pé no Monte - http://www.blogbabytime.com/2016/09/pe-no-monte-paragem-obrigatoria-com.html?m=0 
Zmar - http://www.blogbabytime.com/2017/06/veraneando-por-ai-o-novo-zmar.html 
Minas de S. Domingos - http://www.blogbabytime.com/2016/04/quem-ainda-nao-conhece-este-sitio.html
Bungallows de Mira - http://www.blogbabytime.com/2016/09/bungallows-de-mira-um-refugio-de-sonho.html

Beijos e boas férias!