A semana passada aceitámos o desafio da Samsung Chef´s Experience, no Mercado da Ribeira, e fomos aprender a fazer snacks saudáveis para levar para a escola, daqueles que adoçam a boca a pequenos e graúdos e contêm alto valor nutricional. Já sabia que o Duarte gostava de me imitar na cozinha, e até tem uma só para si, mas até hoje, dada a sua tenra idade, nunca o tinha deixado experimentar uma cozinha à séria, e, não querendo parecer exagerada, ele adorou poder mexer em tudo, manusear os utensílios, adicionar os ingredientes e sentir-se no papel principal de cozinheiro! A qualidade dos electrodomésticos  também ajudou pois senti segurança para lhe dar liberdade (o fogão, por exemplo, tem um botão de bloqueio).
Baba à parte, metam o avental e vamos à parte que interessa - as receitas - que podem experimentar fazer em casa já no fim-de-semana para mandar na lancheira dos vossos pequeno(a)s:

1. Bolachas de Aveia e Manteiga de Amendoim (crocantes por fora, suaves por dentro)

Ingredientes:
75g de Flocos de Aveia
1 ovo
5 colheres sopa de açúcar amarelo
1 colher sopa de Manteiga
2 colheres sopa de Manteiga de Amendoim
Farinha com Fermento, para rectificar a massa ·
Chocolate Negro em pedaços
Preparação:
Pré-aquecer o forno a 200oC. Numa tigela, bate-se a manteiga, a mantei ga de amendoim e o açúcar. Sem parar de bater, incorpora-se o ovo, e bate-se vigorosamente, até se obter um creme bem homogéneo.
Com uma faca, picam-se o chocolate em pedaços, mas não muito pequenos para não se desfazerem. Adicionam-se os flocos de aveia. Se a massa parecer muito líquida, retifica-se com farinha (mas pouca). Num tabuleiro forrado com papel vegetal, dispõe-se colheradas de massa.
Achatam-se as bolinhas e coloca-se por cima os pedaços de chocolate.
Levam-se ao forno até que as bolachas fiquem douradas nas pontas.








2. Barras crocantes de Milho e Chocolate (energia deliciosa para o lanche)

Ingredientes:
1 chávena de pipocas 
1 chávena de Cereais de milho
1 col. Sopa Manteiga
5 col. Sopa de Mel 
Chocolate Negro Derretido
Chocolate Negro em pedaços
Preparação:
Num tacho coloca-se o mel e a manteiga e mexe-se bem até que se obtenha uma mistura homogénea e líquida. Juntam-se as pipocas e os cereais e mistura-se bem.
Num tabuleiro forrado com papel vegetal, verte-se chocolate negro derretido, para formar uma camada uniforme. Sobre o chocolate dispõe-se a mistura de cereais e espalha-se.
Para terminar, faltam apenas uns pedaços de chocolate. Leva-se o tabuleiro ao frio até que as barras estejam rijas. Cortam-se com uma faca de lâmina comprida e afiada, de um golpe só. E estão prontas a fazer as delícias dos lanches de toda a família.
 





Não filmámos tudo o que existe na Praia de Mira nem nos Bungallows porque também tínhamos que descansar e porque apenas um fim-de-semana não é suficiente para conhecer tudo. Mas tentámos :) E aqui fica uma tentativa de resumo da nossa estadia em 1 minuto. E já agora, a prova de que estou cada vez melhor ao nível do skate (devo estar na fase I: perder o medo), tinha mesmo que ser mãe de um rapazolas :)
No sábado de manhã mal coloquei a primeira foto no instagram foram muitas as mensagens que recebi a perguntar onde estávamos. E posso confessar-vos que essa curiosidade foi a mesma que senti quando vi pela primeira vez as fotos dos Bungallows de Mira, numa pesquisa no google por férias em unidades de campismo em Portugal. A vida é assim, há quem goste de hotéis 5*, eu gosto de campo, turismo rural e bungallows, e estes ficaram logo na “mira”!

Em pleno Lago do Mar, na Praia de Mira, distrito de Coimbra, terra que desconhecia por completo, estes Bungallows estão inseridos no Parque Municipal de Campismo de Mira e estão em atividade turística há apenas 4 anos.
À chegada do Bungallow nº10, o impacto não podia ter sido melhor: grande, moderno, em cima de água, como os das Maldivas, e com um deck com uma vista fabulosa para o lago e para as dunas da praia no horizonte. 
OS BUNGALLOWS

São 21 edifícios de madeira construídos num conceito de water villas com capacidade para 5 pessoas. Os interiores aliam a simplicidade da madeira, que se procura neste tipo de turismo, com a modernidade: cozinha Teka totalmente equipada, TV, Wi-fi e secador de cabelo no quarto. Um janelão grande na zona de estar divide o espaço interior do deck exterior, perfeito para apanhar sol. O sossego só é quebrado pela presença dos patos bravos e das carpas abundantes no lago. O ponto alto da nossa estadia para o Duarte foi mesmo este contacto com a natureza. A partir do deck ele divertiu-se imenso a alimentar os patos e os peixes (despachámos uma embalagem de pão num piscar de olhos, por isso, se lá forem com as vossas crianças, vão prevenidos). 




















O MUSEU

No sábado o dia amanheceu escuro e optámos por ir conhecer o Museu Etnográfico Praia de Mira, um antigo palheiro dos anos 60, situado mesmo em frente à barrinha de Mira, onde pudemos viajar no tempo e ter contacto com a história e património arquitetónico de Mira, desde a pesca às artes e ao modo de vida da população, tudo isto através de mobiliário, trajes, instrumentos utilizados na pesca e alfaias agrícolas. Existe também uma salinha que representa uma sala de aula antiga que o Duarte adorou, e uma zona de lazer para os mais pequenos brincarem e pintarem. A entrada é gratuita. 











O CIRCUITO PEDONAL

À saída do Museu, começámos a andar no circuito pedonal e fomos despertados pela presença de várias gaivotas temáticas na barrinha, convidativas para um passeio. O Duarte escolheu o Pato Donald e lá fomos nós "pedalar" meia hora pela ria, onde assistimos a atividades de remo e de pesca. Este passeio tem o custo de 3€ por 30 minutos e 5€ por 1 hora. 


A PRAIA DE MIRA

Já com o sol a espreitar, não quisemos perder a oportunidade de ir conhecer esta praia, que tem um vasto areal de areia fina e apresenta uma característica ímpar: é a única zona balnear marítima do mundo a receber durante 30 anos consecutivos a Bandeira Azul. Uma capela azul, de construção típica de madeira, serve quase de miradouro para a praia e confere-lhe ainda mais tradição. Precisam de mais argumentos para vir conhecer esta praia?















OS MOINHOS DE ÁGUA

Existem vários moinhos de água na zona que pertencem a propriedades privadas, mas que podem ser visitados através do circuito pedonal. Visitámos os Moinhos da Fazendeira, no sítio do Cartaxo, um programa giro para fazer com as crianças, já que aqui pela zona de Lisboa e região oeste são mais abundantes os moinhos de vento.





A PISTA CICLOPEDONAL 

Voltando ainda à pista ciclopedonal, que se estende por 26 km, e é uma das maiores pistas de Portugal, na impossibilidade de avançar com o plano A) alugar bicicletas (a loja local estava encerrada para férias), no domingo, aproveitamos para fazer o passeio em modo skate, felizmente tínhamo-los colocado na carrinha, como plano B, e acabou por se revelar um passeio igualmente divertido. Se forem e puderem levar bicicletas, aconselho, o percurso tem pontos turísticos muito giros, desde cursos de água a pontes de madeira que circundam as lagoas de Mira e da Barrinha.





Preços por noite: a partir de 41.50 €. 
Mais informação aqui