0

#OS 5 ANOS - A FESTINHA!

22 janeiro 2018


Para as meninas que andam a pedir fotos e porque gosto de partilhar estes momentos bons da vida, aqui fica uma espreitadela à festinha caseira que fizemos ontem à tarde para celebrar os 5 aninhos do Duarte. De manhã teve (a pedido) festinha com os amigos num espaço de festas infantis, que me facilitou muito a vida para me poupar ao empenho habitual que envolve passar o dia de véspera na cozinha a preparar tudo (tive que assimilar que este ano não dava para me esticar tanto nos preparativos).

 
No entanto, já devem ter percebido que, mesmo com este barrigão, não consegui resistir a assinalar o momento de forma especial também cá em casa para receber a família e proporcionar-lhe um dia diferente dos outros. Confesso que gosto de me desafiar e me dá um gozo enorme planear festas, mesmo que sejam pequenas e simples. Acaba por ser um pouco irónico. Nunca tive festas de anos, não tenho nenhuma mágoa com isso, ainda hoje ligo pouco ao meu aniversário, faço quase por “obrigação” da minha gente, mas gosto de preparar para os outros. Gosto da adrenalina, é até terapêutico para a minha ansiedade. 

O decor foi simples, mas pensado ao detalhe para cumprir o objetivo de criar um ambiente divertido e giro de festa, mas sem cair no exagero de extrapolar o budget numa festa tão intimista, só para a família. Sou muito terra á terra nestas coisas. Já deixei algumas dicas para rentabilizar festas no post anterior. 

Os balões, as rosetas, a grinalda, os copos e os pratos vieram da loja de festas Party Bite, onde recorro sempre para as festinhas da casa (e eu sou uma pessoa muito fidelizada a tudo o que corre bem e a espaços onde encontro muita variedade para evitar ter que andar a saltitar de loja em loja). Para quem é de fora de Lisboa, existe loja online. As restantes loiças, que podem ver nas fotos, já fazem parte do recheio da casa. Os mini chapéus dos animais fi-los com cartolinas e pompons do armazém chinês, já cá tinha tudo. Eu vou mesmo ao baú dos materiais ver o que existe para (re)aproveitar. 















O bolo ficou, este ano, pela primeira vez à minha responsabilidade. Achei que para uma festa caseira podia assumir essa parte. Acaba sempre por colocar-nos alguma pressão em cima porque é o elemento central da festa e nestas coisas as mães não querem desiludir as crias, mas gosto de me desafiar e gosto verdadeiramente de me envolver e colocar o meu amor por ele nos preparativos. Mesmo que tenha saído um bolo mais trapalhão e menos perfeitinho (que até gostei).

A decoração do bolo também foi inventada por mim, fiz a grinalda com palitos de espetadas, trapilho, cordão e folhas dos cedros que existem aqui no terreno em frente à casa para dar um ar verde de “selva”. As figuras da Guarda do Leão (e restantes animais) vieram diretamente dos brinquedos do Duarte, que ao pedir-me este tema, me facilitou a vida. 


É sempre um dia cansativo, mas a alegria de lhe proporcionar um dia especial supera tudo. Sou mãe, faço-o por ele e por gostar de ver feliz. A melhor recompensa da vida é esta. Ele foi para a cama feliz e eu orgulhosa do pouco que fiz, mas com todo o empenho e amor. 

Quando ao Duarte, este sim, foi o ano em que assinalar o dia com uma festa de anos teve mais sabor do que nunca e ligou a todos os pormenores, como um menino crescido, que é o que está a ficar. 


Só me resta agradecer aos nossos amigos chegados, aos pais dos amiguinhos da escola e à família por terem também contribuído tanto para transformar mais um domingo normal das nossas vidas num dia memorável.  E a toda(o)s vocês que perderam um minutinho para nos vir desejar feliz aniversário! 
PS – para a lista de meninas estão à espera da receita do bolo, que ficou delicioso (e olhem que eu não sou nada de me gabar no que toca a assuntos culinários porque acho sempre que sou um "satisfaz") prometo um post em breve, como adaptei ligeiramente a receita, tenho que a colocar em papel. 

Gostaram?

Beijos,

Sem comentários

Enviar um comentário