0

#DOS SÍTIOS QUE NOS AQUECEM O CORAÇÃO!

18 novembro 2016


Escrever sobre o Zmar é quase como que escrever sobre a “nossa” casa na terra. Nos últimos 3 anos, quase 4, desde que a maternidade nos bateu à porta, que já perdi as contas às vezes que lá fomos com o Duarte. Fomos a primeira vez e gostámos (ele ainda mais), repetimos, voltámos a repetir and so on. Foi lá que ele aprendeu a brincar às escondidas, que experimentou as primeiras braçadeiras e foi lá que deixou a chucha no verão de 2015, escolheu dá-la ao “sapo bebé” do lago. História que repete sempre que lá vamos. 

Apaixonou-se pelo local, pela raposa ZFox (que anima as manhãs e as tardes de verão), pelos animais e decora as músicas ouvidas e dançadas lá como nenhumas outras. No dia do incêndio foram muitas as mensagens que me chegaram ao telemóvel a dar a má notícia, gelei, senti que parte do “meu” património de férias estava a desaparecer (oh não, isso é que não!). Acompanhei de perto a comunicação social e respirei de alívio quando percebi que não era o fim, mas sim o renascimento. O Zmar voltou a abrir portas ao público no último fim de semana e nem foi preciso pensar muito para decidir ir passar o verão de S.Martinho a sul com o Duarte, no sitio onde ele se sente mais livre. O Diogo não podia ir por motivos profissionais e lancei o convite a uma amiga, a ideia foi aceite na hora. Sexta-feira depois do trabalho rumámos a sul com duas crianças excitadas, o Duarte por estar de volta ao #nossozmar e a Leonor por ser novidade para uma S. Martinho Eco Experience. 

No sábado aproveitamos a vista desafogada do Bungallow sobre o lago com as crianças, observámos os patos e as cegonhas, passeámos pela Herdade de manhã, saímos para ir almoçar a S. Teotónio e voltámos. Os miúdos estiveram no parque infantil a descobrir bolotas, “sobreiros bebés” e ouviram uma lição sobre de onde vem a cortiça. Depois, foram para o Kidz ouvir contos e fazer desenhos, animação não lhes faltou no atelier e as mães conseguiram descansar um pouco. O dia culminou com a Festa de S. Martinho. E, assim, as primeiras castanhas do ano foram saboreadas a sul, sob o céu estrelado alentejano e com jeropiga caseira a acompanhar, como deve de ser. Para os mais friorentos e sem crianças irrequietas, uma lareira irresistível e sofás circundantes na Sala de Estar convidavam a um serão com música ao vivo. Os nossos miúdos preferiram ficar cá fora no deck a andar de bicicleta, a brincar com as outras crianças e a ver o assador de castanhas, toda uma experiência nova para eles.














No Domingo o sol brilhava ainda mais alto e após o pequeno-almoço aventuramo-nos num divertido passeio de Kart pelo monte. Ainda nem tínhamos recuperado a força das pernas (dica: levar um homem, um kart não é coisa fácil de pedalar!) já estavam os miúdos em pulgas para ir alimentar os animais. Começámos pelos burros, conheci a cria de 3 meses cuja mãe estava grávida aquando a nossa estadia em julho, depois as araras, as cabras e os póneis (alerto os corações mais sensíveis de que há póneis bebés, um a-m-o-r-r-r). O Duarte apanhou bolotas… e mais bolotas… e mais bolotas, encheu os bolsos, o boné e um saco, diz que quer plantar um sobreiro (eu apoio!), resta-me agora fazer o trabalho de casa e pesquisar como?! Quando é que a bolota está pronta para semear?! Aceito dicas.











 










Sobre a recuperação do Zmar (agora que estive no terreno) posso contar-vos uns segredos, querem? ´
  • Prevêem inaugurar uma Quinta pedagógica com mais animais para a reabertura (posso propor esquilos? Adorava!)
  • Está previsto as obras arrancarem em janeiro e no verão de 2017 tudo estar a funcionar em pleno, lá estaremos sem dúvida!
Nunca duvidei do poder de renascimento do Zmar, não é à toa que o projeto já foi merecedor de vários prémios nacionais e distinções internacionais, nomeadamente pelo Trip Advisor, onde recebeu o Certificado de Excelência 2014. E, como sou das que acredito que depois da tempestade vem a bonança, aposto que no verão vamos ter o nosso ponto de partida de férias ainda mais cool. 

O espaço Zinfo, para quem conhece, foi ampliado e agora inclui uma gama maior de lembranças e produtos gourmet biológicos e fabricados de forma sustentável dos quais já fiz inclusive a primeira compra de Natal. Deu para fazer de tudo um pouco e para vir revitalizada para mais uma semana de trabalho. 

PS – Também já espreitei o cartaz temático de Reveillon e como já lá estive numa Party Experience posso-vos garantir que vale muito a pena equacionarem entrar com o pé direito lá. Vai ser uma Wild SW Party para adultos e crianças, com música, jantar de fim de ano e diversão. Eu fiquei com a pulga atrás da orelha! 

Beijos!


Sem comentários

Enviar um comentário