0

OLÁ 2018!

02 janeiro 2018

 
Em num flash estamos em janeiro de 2018. O primeiro mês do ano dois-mil-e-dezoito, um número que há uns anos atrás parecia longínquo e inatingível. E agora, está aqui, aos nossos pés, à espera de ser agarrado com todas as forças com que agarrámos os anteriores para fazer deles “o nosso ano” e dar continuidade aos nossos sonhos. Sem grandes exigências, ao sabor da vida, mas já com um grande feelling de que este primeiro trimestre vai passar a voar e que em breve estarei a realizar um sonho – ser mãe pela segunda vez e repetir a experiência que vos mostro nesta foto tão intimista. Eu com ar de menina, um pouco insegura, a segurar o meu primeiro filho em janeiro de 2013. 

É de braços abertos que recebo este mês. Janeiro marca o arranque do ano, mas é pela maternidade que ele é para mim um mês tão especial. É o mês em que a vida me deu o melhor dos presentes - o Duarte - que me ampliou horizontes e abriu prismas como nada na vida. O meu primeiro filho, o que me direccionou para a verdadeira dimensão do amor e da maternidade. Por isso, para mim, este é um mês de gratidão e celebração pelo amor mais completo de todos, e também o mais exigente e avassalador.

O nosso janeiro costuma passar a voar, entre o rescaldo do Natal e da Passagem de Ano, metem-se os preparativos para a festinha dele e num ápice estamos a 21 de janeiro a cantar-lhe os parabéns. Este ano, para me proteger de esforços extra, vou delegar ao máximo os preparativos. Vamos fazer num espaço próprio para crianças com os amiguinhos chegados, vai ser o primeiro ano em que eu não vou comandar os preparativos e não vou andar envolvida a 200% a tratar da decoração, da animação, dos doces e dos insufláveis à minha maneira low cost, custa-me um bocadinho (porque sou teimosa) não assumir as rédeas e fazer tudo para a festa acontecer, mas conheço os meus limites e não estaria a ser sensata. Sei que se me agarrasse ao tema ia fazer mais do que devo, porque quando começo algo, levo até ao ultimo detalhe. Por isso, este ano vai ser tudo minimalista, porque o que realmente importa não é a dimensão da festa, mas sim a alegria de lhe poder proporcionar um momento especial com os amigos e depois é ir abrir o meu kit das festas e juntar família num lanche.  

Este janeiro marca também o momento em que tenho a “tarefa” de começar activamente a preparar o enxoval do meu segundo menino, pois já começo a sentir necessidade de compor o ninho (como os especialistas lhe chamam) e ter tudo a postos para ficar tranquila e sentir que o Xavier tem todas as condições para ser recebido. Se até agora andei muito calma, nas últimas semanas comecei a sentir muita ansiedade e a ter necessidade de começar a preparar o caminho. Vamos passar a ser 4, caramba, ainda ontem éramos só eu, ele e uma cadela hiperativa. 
Que começe 2018!
E que seja magnifico para todos!
Poderão gostar de ler: Como gastar menos nas festas de anos - o meu método! 

Sem comentários

Enviar um comentário