0

#15 TAREFAS DIÁRIAS QUE IRRITAM AS MÃES!

02 maio 2017


Ser mãe é ter o coração preenchido com o melhor amor de todos. É ter a certeza de que nada poderia ter enriquecido mais a nossa vida. É apagar algumas memórias do passado e nem sequer nos lembrarmos com claridade como era a vida antes dos filhos. Mas, a maternidade tanto nos preenche os dias com o melhor da vida como nos pauta o calendário com rotinas, pequenas coisinhas do dia a dia que quanto juntas nos fazem ter vontade de, por vezes, também nós, batermos o pé. 

Isto acontece principalmente quando os pequenos não colaboram, como cá em casa em que ir para o banho continua a ser o drama de todos os dramas. E os dias são preenchidos por estas pequenas coisas que se repetem, detalhes insignificantes aos olhos dos outros, mas que nos momentos mais sensíveis fazem as mães ficar à beira de um ataque de nervos.

Vejamos:

1. Acordar


As crianças acordam sempre cheias de energia para brincar, mas nunca se querem vestir. Fogem da roupa como o ladrão foge do polícia e andamos ali com uma meia na mão atrás do pé fugitivo, ou com a t-shirt ao ombro a brincar à apanhada do corpo desnudado em fuga. Começamos logo o dia a contar até 10 para não perder a paciência.

2. Escovar os dentes


Não consigo entender o dilema que é lavar os dentes. A pasta sabe a gomas, a escova de dentes é dos desenhos animados preferidos, o que tem de tão chato lavar os dentes? Porque é que não é tão giro como comer um chupa?

3. Calçar

Depois da fase dos 2 anos em que começam a querer escolher a roupa (muitas vezes ainda visto o Duarte meio ensonado para ele não dizer de sua justiça) chega a fase em que querem escolher o calçado. E o que isso significa? Levar todos os santos dias os mesmos ténis, aqueles versão todo-o-terreno, gastos e empoeirados, que não ficam bem com tudo mas que estão para eles como o mickey está para a minnie. E lá vão eles em grande estilo para a creche (not). 

4. Fazê-los esperar


Dizer a uma criança que vai ter que esperar um pouco, seja para nos acabarmos de despachar, seja numa fila, seja para comer o lanche, seja para qualquer coisa é o mesmo que lhes dar uma injeção de adrenalina ou LSD numa tenda eletrónica (não tenho a certeza quanto a esta pois sou uma mãe clean, não se assustem). Instala-se o caos. As crianças detestam esperar, simplesmente porque elas não tem noção do tempo. Para elas, 10 segundos ou 24 horas são a mesma coisa e isso é desesperante. Começam a gritar, a aparvalhar, a perguntar "já está?" ou se "falta muito?" de segundo a segundo e isso entra na nossa cabeça em modo repeat e começamos a odiar o compasso. Acho que o truque para sair de casa de manhã é remetermos-nos ao silêncio e pura e simplesmente não dizer a temida palavra "esperar". 

5. Sair de casa


Sair de casa é por si só uma tarefa que irrita qualquer mãe. Quando olhamos para a roupa vestida estrategicamente 5 minutos antes de sarimos adivinhem? Já está suja. Deppois querem levar os brinquedos todos, e quando estão a caminho do carro lembram-se que tem sede e xixi, mas 2 minutos antes quando perguntámos se precisavam de ir à casa de banho estava tudo bem. E podem apostar: quanto mais pressa tivermos, mais obstáculos eles criam.


6. Prender no ovo ou na cadeirinha do carro

Isto é daquelas tarefas diárias que começam por ser fáceis quando são bebés e cujos níveis vão aumentando de dificuldade à medida que vão crescendo. Como um jogo de tetris. Há a fase em que se reviram e fazem de tudo para não os conseguirmos prender, enquanto nos tentar romper os tímpanos com guinchos. Há a fase da apanhada, em que entram para o carro e o jogo é tentar apanha-los para os conseguir sentar (muitas vezes vamos apanha-los à bagageira) e depois há a fase "já sou crescido e sei" em que os petizes entram para o carro, sobem para a cadeira e começam a meter o cinto, e tentam e tentam, e choram se tentarmos ajudar, e nós olhamos para o relógio com os minutos contados para ir para o trabalho e quando já estamos na red line e prestes a explodir... click, eles conseguem terminar a tarefa e lá vamos nós!

7. Dar comer


Estar à mesa com crianças consegue ser algo prazeroso e extremamente irritante ao mesmo tempo. Ora comem tudo de enfiada e tecemos elogios, ora temos que fazer o avião, dançar o fandango, virar palhaços, ir ao céu e voltar e... nada os faz abrir a boca. Para ajudar, ainda batem com mão na colher e espalham por tudo. E não fiquem muito felizes quando eles passarem a comer sozinhos, preparem-se para as migalhas e restos de comida pelo chão. 

8. "Mãe já tá"

Não há mãe que não conheça esta frase e que não saiba o que ela significa. O problema não está em limparmos os nossos filhos após a ida ao WC, o problema é que as crianças têm uma pontaria digna de um curso de balística em acertarem nos momentos mais inoportunos para irem ao WC, como quando estamos a cortar as hortaliças para a sopa, a regar o peixe no forno cuidadosamente para não nos queimarmos ou a atender uma chamada telefónica. 


9. Cortar unhas


Se conseguirem cortar as unhas todas de uma criança acordada sem interrupções, parabéns, têm o filho(a) mais educado do mundo. Cortar as unhas de uma criança que simplesmente não pára de se mexer e é uma coisa que as mães detestam. Acreditem, estou perita em manicure em movimento. 

10. Tomar banho


Imaginem-se a tentar fazer um gato gostar de água. Enfiar uma criança no banho é mais ou menos assim. Esperneiam, tentam trepar por nós acima até que finalmente os conseguimos aterrar no fundo da banheira. E lavar a cabeça? Para o Duarte lavar a cabeça nunca é necessário, é uma espécie de tortura que lhe faço todos os dias. Pondero fazer-lhe rastas ou entrega-lo a uma família hippie e assim acabou-se o problema.

11. Tirar do banho


Passada a crise inicial, a criança desfruta do banho. Brinca com espuma, lava os bonecos, lava os azulejos, canta... e, na hora de sair...o CAOS! É como se lhe estivessmos a retirar o brinquedo preferido. 

12. Assoar o nariz


Ser mãe é andar sempre munida de um batalhão de lenços e toalhitas. É conhecer o ranho de outra pessoa melhor do que o nosso e ouvir gritos sempre que o nariz está sujo "mãe tenho ranho, tenho ranho, tenho ranho". E quando chegamos ao pé deles, já o ranho está na roupa ou nas mãos. 

13. Pentear o cabelo


A menos que sejam mães de uma menina vaidosa com o seu cabelo e que adore esse universo, pentear crianças assemelha-se a um ritual de tortura, Choram porque doí, gritam porque estamos a aleijar (mesmo se estivermos a usar a escova mais xpto do mercado) fogem da escova a sete pés e ficam amuadas connosco. 

14. Arrumar brinquedos


Nos manuais de dicas de maternidade e parentalidade os brinquedos deviam ser abordados porque passamos 30% do nosso tempo diário a apanhar brinquedos espalhados na sala, 50% semanalmente a reorganizar tudo e 20% a esconder os mais irritantes na garagem. 

15. Deitar


Existem 1001 receitas de bacalhau e podiam muito bem existir 1001 formas para deitar as crianças. Vai dar quase ao mesmo. Todos os dias a receita muda, mas o ingrediente principal é o mesmo: a birra do sono. E enquanto nós lutamos para ter os merecidos minutos de paz e ver a série preferida ou ler o livro que andamos à meses para terminar, as crianças lutam contra o sono com todas as suas forças. Quando a batalha termina, já não queremos saber da série nem do filme, porque a privação do sono é das coisas mais difíceis da maternidade. 

Sem comentários

Enviar um comentário