0

#SOBRE PREVENIR CIÚMES NO IRMÃO MAIS VELHO!

12 junho 2018


Ter um irmão era um desejo que o Duarte vinha a manifestar em várias ocasiões desde os 3 anos. Aliás, já me disse que quando o Xavier tiver um ano quer mais um [ como se isto fosse ir ali ao supermercado comprar um exemplar e já está ].

Acho piada a este lado "paternal" dele. Por um lado sempre tão cabeça no ar, por outro tão zeloso pela família e pelos seus. Ele é de facto um miúdo reservado com terceiros mas no que toca à família adora ter a casa cheia. Talvez por isso tenha este desejo pré concebido de ter muitos "maninhos".

Mas por mais estranho ou até mesmo parvinho que possa parecer tive alguns sentimentos ambíguos em relação à gravidez e ao facto dele ir deixar de ser filho único. Por um lado, sentia aquele conforto no coração por saber que não há melhor presente na vida do que dar-lhe um irmão, por outro, um receio perante a mudança e com ele os pensamentos "será que vou conseguir dar atenção a dois?", "será que ele se vai sentir secundário?", "será que ele vai sentir traído por mim?" ou achar "que o troquei pelo bebé?". Acho que todas as mães de segunda viagem se cruzam em algum momento da gravidez com estes pensamentos contraditórios, como se estivéssemos a trair o primeiro filho por ir passar a partilhar o colo da mãe com outro (mãezices é o que é, tomara eu, filha única, ter a sorte dele e ter uma irmã para partilhar a vida).

Quem já tem filhos sabe bem quão cansativos e limitados podem ser os dias após a chegada de um recém nascido e por isso é importante gerir o processo desde a gravidez para minimizar o impacto dos possíveis ciumes da criança existente associados à chegada de um bebé.

Há muitas coisas podemos adiar para "quando houver tempo" mas um filho já existente não. É preciso garantir o equilíbrio do que existia antes de chegar o bebé com a nova vida pós chegada do bebe à família.

O que resultou cá por casa:

* Reforços positivos durante toda a gravidez com frases incentivadoras à mudança "vais ensinar o mano a chutar à bola", "o mano bebé vai gostar muito de ti", "vão ser muito amigos";

* Incluir o mais velho nas novas rotinas: banho do bebé (deixa-lo aplicar o creme hidratante), na mudança da fralda (pedir ajuda para dar a fralda), deixar pegar ao colo com monitorização se a criança mais velha pedir, etc;

* Relembrar a família e amigos na hora das visitas de falar sempre ao mais velho e dar-lhe também atenção;

* Se tiverem confiança com as pessoas, pedir para incluir no presente de boas vindas ao bebé 
um miminho para o mais velho (pode ser um balão, uma saqueta de cromos, não tem que ser uma prenda cara, os miudos ligam ao gesto em si);
* Fazer troca de prendas entre manos (um plus para o mano mais velho)!


A troca de prendas dos (nossos) manos:


(Documentámos a nossa troca de prendas mas só agora as passei para o PC. Foram tiradas na primeira semana de vida do Xavier por isso não estranhem a roupa quente de inverno e os meus kg extra. Mas tendo em conta a presente metereologia de junho, até nem parecem tão desajustadas, verdade?). 


Após a chegada do Xavier a casa (à quem o faça na maternidade) escolhemos a manhã seguinte para fazer a troca de prendas entre os manos. no quarto que vai ser dos dois. O Duarte ofereceu um brinquedo ao Xavier e vice-versa. Este momento para o bebé não tem grande importância no imediato mas para o mais velho é um gesto que fica guardado na caixinha da memória. E mais tarde, também o Xavier vai poder ver estas fotos :)








Assim, o Duarte ofereceu ao Xavier um brinquedo 0+, uma caixa de som do Mickey, para começar a usar desde o nascimento (ajudou na hora das cólicas) e o Xavier presenteou o mano com um daqueles brinquedos que lhe estavam na mira desde o Natal: um Robot programável com música, sons, mensagens de voz e expressões faciais, com que ambos vão poder brincar mais tarde, pois um Robot não passa de moda. Verdade? 

 
É um momento especial para a criança mais velha que é válido com um brinquedo de qualquer valor, cada um dá o que pode. Isto nunca deve ser encarado como um suborno ao mais velho mas sim como uma ação de charme do bebé para o mais crescido, fazendo-o perceber o lugar importante que tem na família.


E depois, qual o miúdo que não delira com um Robot programável e telecomandado que até apanha objetos? Pensando bem, se calhar é por isso que quer já outro irmão!


Quanto ao Xavier, atualmente tem como brinquedo inseparável outro Mickey também da Clementoni (somos fãs, os jogos de tabuleiro em Inglês são muito bons para os mais velhos), faz um som semelhante a um dream cactcher e ele adora. Esta fase do inicio dos barulinhos e das descobertas é das mais giras dos bebés. 

Beijos

Sem comentários

Enviar um comentário