0

#ACIMA DE TUDO PROTEGÊ-LOS!

14 novembro 2017

 

Filhos

Quando eles nascem devia ser possível fazer uma garantia 
vitalícia com Deus de que nada de mal lhes pode acontecer 
e que, em caso de acidente ou doença, devíamos ser nós a acarretar todas as dores.
Há coisa mais importante do que vê-los bem?
A maternidade é amor, misturado com uma constante gestão do medo



A semana passada após conhecer a nova cadeira auto da Bebéconfort e ver alguns testes de segurança (e acreditem, não é um cenário nada agradável perceber o impacto de uma colisão no corpo de um criança) dei por mim a fazer o seguinte exercício: porque é que dei mais dinheiro pelo carrinho de passeio do que pela cadeira auto? Por acreditar que não fui a única, decidi lançar a pergunta "pagariam mais por?" nas sondagens do Instragram. Conclusão: 83% referiram que pagariam mais por uma cadeira auto e 17% por um carrinho de passeio. Nada mau, fiquei surpreendida pela positiva e senti-me um bocadinho mal. Não tenho a certeza se será assim tão linear, a verdade é que sei que as mamãs se encantam facilmente pelo design dos carrinhos, sobretudo quando o primeiro filho está a caminho, mas as respostas dadas tem a sua lógica: o carrinho de passeio dura por volta de 2 anos e a cadeira auto 4 anos. Logo o investimento face à durabilidade versus proteção conferida é mais rentável se o aplicarmos numa cadeira auto, não quero dizer com isto que não devemos investir no carrinho dos nossos sonhos se pudermos, mas não deixa de ser interessante fazermos este exercido quando preparamos um enxoval. Não acham? E contra mim falo, pois apesar de ter pesquisado sobre cadeiras auto para fazer uma boa compra, não dei o mesmo valor por ambos.

O cenário acidental é algo que não gostamos nem de pensar, é aquela situação que preferimos sempre afastar e achar que nunca nos vai acontecer, pois em todas as situações na vida aquilo que procuramos para os nossos filhos é sempre acima de tudo protegê-los, até dos maus pensamentos. Mas a verdade é que a segurança rodoviária é um tema quente, daqueles que não têm, infelizmente, solução mágica à vista, por isso, aquilo que de melhor podemos fazer é ter uma condução preventiva, respeitarmos as normas de segurança e estarmos protegidos o máximo que conseguirmos.

Recebi nos últimos dias algumas dúvidas sobre o Airbag integrado na AxissFix Air da Bebéconfort e acho que é mais fácil responder por aqui, visto que a maioria se prende com a questão do próprio Airbag em si.    

"Quando nos dizem que devemos desligar os airbags dos nossos carros quando os bebés andam no banco da frente, deve ser porque o impacto que o aAirbag tem sobre eles é muito intenso, não é perigoso uma cadeirinha com Airbag?"

"Então e esses Airbags estão sempre de fora, ou disparam em caso de impacto?"

"Os sistema de Airbag também causam danos quando atingem as pessoas, não há perigo de axfixia para o bebé?"

Para ajudar a esclarecer estas dúvidas, partilho abaixo de forma simplificada aquilo que fiquei a saber sobre este modelo:



Benefícios da tecnologia Air Safety face às outras cadeiras:

A AxissFix Air , a primeira cadeira-auto do mundo com airbags integrados, reduz significativamente o impacto em caso de colisão, amortecendo a cabeça e pescoço da criança:
•Redução da força exercida na vértebra do pescoço – até 55%
•Valores de desaceleração reduzidos na cabeça – até 25%
•Redução do deslocamento da cabeça para a frente, limitando o risco de impacto no banco da frente.
 
Porque é um airbag na cadeira é seguro? 

Na verdade, o airbag reduz o impacto de uma colisão na medida em que segue a direção em que a cabeça da criança se está a mover. O airbag não pára a cabeça (como o faz um airbag frontal normal de um automóvel) ele simplesmente ampara-a.
Os testes realizados provam que a tecnologia Air Safety contribui para uma redução de até 55% das forças exercidas na vértebra do pescoço e cabeça, no caso de uma colisão.
 
Em caso de haver uma colisão, o que acontece a uma criança que viaja numa cadeira instalada no sentido da marcha?

Quando uma criança  viaja no sentido da marcha, a cabeça é projetada para a frente. Este movimento pode causar sérias lesões no pescoço e cabeça da criança. A posição de costas para a estrada amortece a cabeça e espalha as forças do impacto por uma área maior da cabeça e costas, para além de proteger o pescoço muito vulnerável. Pesquisas recentes confirmam que os bebés viajam mais seguros na posição de costas para a estrada, pelo menos até aos 15 meses. Só então o pescoço da criança é forte o suficiente para resistir melhor à força impulsiva de uma colisão frontal média.

Por isso o novo regulamento i-Size (R129) impõe claramente a utilização de cadeiras-auto na posição de costas para a estrada para crianças até aos 15 meses. Algumas cadeiras-auto permitem o transporte de crianças na posição de costas para a estrada até aos 4 anos.
 
Existe algum risco de asfixia em caso de acidente?

No caso de  colisão, os airbags localizados nas almofadas de proteção do arnês da Axissfis Air inflam em 0.05 segundos. Os airbags esvaziam automaticamente 1 segundo após a colisão, sendo por isso impossível qualquer risco de asfixia.

Em caso de dúvidas, podem ainda visualizar este vídeo:


Este post foi feito em parceria com o grupo Dorel - Bébéconfort - a marca que trabalha dia e noite para aumentar a proteção dos nossos filhos e a quem agradeço a oportunidade de ter conhecido este modelo. 

Beijos,

Sem comentários

Enviar um comentário