0

#FÉRIAS ANTES E DEPOIS DOS FILHOS!

13 junho 2017


Depois de um fim de semana com os sogros, com pouca logística a nível de bagagem porque foi só uma noite fora, hoje estou novamente em modo pré-viagem, com malas "à séria" para finalizar antes de rumar a sul. Estou de férias!!!Devia estar a deitar foguetes não é? 

O problema é que... nunca gostei de fazer malas! Eu tento relativizar e não andar a resmungar pela casa mas não consigo disfarçar e acabo sempre a ranger os dentes aos trolleys. Reconheço que a dificuldade está em mim, idealizo sempre um cenário perfeito em que tenho imensa paciência para planear e levar looks versáteis para cada dia e não encher a mala em demasia e termino sempre no cenário toca a despachar de "levo isto e mais isto que já perdi o fio à meada e se me apanho no carro a caminho digo que é mentira". 

Porquê? Porque sou mãe e antes de mim tenho a mala do meu mini me para organizar. Entre planear mudas de roupa, roupas de banho, roupa extra para a praia, cremes, shampô, perfume, calçado, kit de medicação, boia, braçadeiras, pá, balde, ancinho, toalha de praia, livros, jogos, brinquedos, biscoitos e bolachinhas e mais uma panóplia de coisas que até cansam só de escrever, quando chega a minha vez já só quero é despachar e "ala que se faz tarde". Longe vai o tempo em que começava a fazer a minha mala uma semana antes e organizava as mudas de roupa por dias de viagem - aiii já fui tão organizadinha! 

Na realidade comecei a fazê-las ontem, o que me permitiu ter mais margem para cumprir a tarefa com menos pressão, por isso, até pode ser que desta vez consiga passar de nível com maior taxa de sucesso, mas não tenho muita fé, este síndrome de passageira que odeia malas já me é intrínseco e ando sempre apontar mais e mais coisinhas de última hora para levar. Será que vou conseguir levar tudo o que faz falta sem ser exagerada?     

Com este aumentar da logística nos últimos anos dei por mim a pensar em como era tão mais descomplicado e prático fazer férias antes da maternidade. Atenção, não disse que era melhor, era só bem mais descomplicado. Não há nada melhor do que gozar da companhia dele na férias e encher os dentes de areia na praia à custa de beijos roubados. Mas que são realidades completamente diferentes são, vejamos:  

A mala de viagem antes de ser mãe


Leva umas hawaianas, o bikini mais giro, o protetor e o autobronzeador, a toalha de praia, o boné, uns headphones, roupa básica, uma sweat quente e aquele vestido mais giro para sair à noite com os amigos. Tudo passado a ferro e direitinho.  

A mala de viagem depois de ser mãe


Leva a tua roupa, a do marido e ainda aquele casaco do miúdo que já não coube na mini mala dele. Tem menos espaço para as tuas coisas, mas queres ser capaz de levar a mesma quantidade de roupa e acessórios. Vai cheia até ao limite e tens que abrir aquele fecho extra que lhe dá mais 2 cm de folga. Nesses 2 cm ainda enfias lá dentro as toalhitas que já ficavam esquecidas no WC e aquele livro que o puto pediu de última hora. A roupa segue viagem espalmada e amassada. 

Um dia de praia antes de ser mãe


Envolve pouco mais do que levar a toalha, a garrafa de água, o protetor, um livro e uma sandwich. A toalha nunca fica cheia de areia. Dormes a sesta para repor energias. Chegas a casa e fazes um ritual de beleza com duche e creme hidratante para fixar o bronzeado.

Um dia de praia depois de ser mãe


O teu saco leva a tua toalha, a da criança, mudas de roupa, fato de banho extra, fraldas de banho, toalhitas, máquina fotográfica, protetores solares (o teu e o da criança), garrafas de água (a tua e a da criança), snacks (para a criança e para o teu desgaste físico de andar atrás da criança), uma bola, um baldinho, formas de areia e um camaroeiro. Não levas revistas nem livros porque já sabes que não vale a pena. A criança não dorme a sesta nem tu. Não passas tempo deitada ao sol porque te está sempre a pedir coisas. "Vai buscar isto", "dá-me água", "tenho fome", "tenho areia nas mãos", "tenho ranho" são as frases que marcam o compasso de um dia de praia. Fazes castelos de areia até ficares com a perna dormente. Vais ao banho por obrigação e não porque tens realmente calor. A tua toalha tem quilos de areia e a da criança também. Chegas a casa cansada, enfias a criança na banheira contigo para despachar enquanto o marido adianta o jantar, passas creme nela e ignoras o teu.  Chegas à cama descansada do trabalho, mas cansada da criança. 

Quem se revê?
Vou só ali terminar a tarefa!!!

Sem comentários

Enviar um comentário