2

#(COOL)ABORAÇÕES | OS MELHORES IOGURTES PARA CRIANÇAS | NUTRICIONISTA GISELA CARRILHO

10 janeiro 2017


Texto: Raquel Rodrigues
Colaboração: Dra. Gisela Carrilho – Nutricionista

Com bifidus, sem bifidus, com ou sem lactose, probióticos, biológicos, veganos, gregos, com frutas, com aromas, desnatados, integrais, infantis, iogurtes sobremesa, sólidos ou líquidos? Mas, afinal, quais são os melhores iogurtes para dar às crianças?   

Há uns meses, graças a uma dica preciosa de uma leitora do blog acerca do desfralde noturno, substituí o copo de leite da noite por um iogurte. Sendo eu intolerante à lactose, mas sem nunca ter notado nada do Duarte, confesso que não condicionei a escolha e ofereço-lhe iogurtes normais de sabores, variando entre morango, banana e manga, que são os preferidos dele. Tem corrido bem, no entanto, não sei se estou a fazer a escolha correta tendo em conta a oferta disponível e os vários tipos de “preparados” que existem no mercado. 

Haverá algum tipo de iogurte mais indicado para crianças? Pedi ajuda à Dr. Gisela Carrilho para me responder a isto e nos esclarecer a todas!

"Desde cedo que todas as mamãs sabem ou já ouviram falar sobre o quanto é importante as crianças consumirem alimentos ricos em cálcio. Este mineral é muito importante para o desenvolvimento de ossos e dentes saudáveis. Por isso, muitas mães incluem, desde cedo, na alimentação das crianças os iogurtes.

O iogurte apareceu no início do século XX e era considerado um medicamento. O seu papel probiótico deve-se à presença de microorganismos vivos que reforçam a barreira imunitária presente no intestino melhorando as nossas defesas e a capacidade de resistir a doenças. Além disso, melhora a função intestinal e digestiva e apresenta uma elevada riqueza nutricional quer pelo teor vitamínico, mineral (ex cálcio) e ainda pelo teor de proteínas de alto valor biológico e gorduras de boa qualidade.

Contudo encontramos no supermercado tantos iogurtes, de tantas marcas diferentes, com tantos sabores, formas e tamanhos que, quando chegamos à hora de decidir ficamos sem perceber qual deles é o mais saudável. Para saber qual a melhor opção é preciso ter um objetivo definido. Fatores como a idade do consumidor, a gestão de peso, a presença de alergias ou intolerâncias alimentares são determinantes na escolha do iogurte certo. 

E antes de mais é preciso perceber o que é um IOGURTE!

Segundo a portaria n.º 742/92, de 24 de julho, artigo 1º, alínea a, um iogurte é «o produto coagulado, obtido por fermentação láctica devido à acção exclusiva do Lactobacillus bulgaricus e do Streptococcus thermophilus sobre o leite e produtos lácteos (…) devendo a flora específica estar viva e abundante no produto final».

Existem muitas variedades de iogurtes sendo os mais comuns os seguintes:

  • NATURAL - Sem adição de qualquer outro ingrediente para além das culturas microbianas e dos ingredientes previstos
  • AÇUCARADO -  Natural, ao qual se adicionou açúcar ou edulcorantes 
  • AROMATIZADO -   com ingredientes aromáticos e pedaços de fruta; ou simplesmente com pedaços de fruta
  • MAGRO ≤ 0.3% de gordura
  • MEIO-GORDO 1.5% a 1.8% de gordura
  • GORDO ≥ 3.5% de gordura
Realmente podemos concluir que os iogurtes são ótimas opções de alimentos como fonte de cálcio mas atualmente, e na minha opinião, os iogurtes dirigidos a crianças e jovens são um cocktail de açúcar e gordura carregadas de corantes e conservantes artificiais para conquistar o paladar infantil. Posto isto como escolher o melhor iogurte?

Devemos dar preferência a IOGURTES NATURAIS SEM AÇÚCAR ADICIONADO E SEM ADOÇANTES ARTIFICIAIS dado os efeitos secundários associados a este aditivo alimentar, ou seja, sem a menção “açucarado”, e mesmo assim verificar se consta açúcar na lista de ingredientes. 

Comparativamente ao leite, o iogurte apresenta uma digestão facilitada por ter as suas proteínas e lactose (açúcar que faz parte da composição do leite) parcialmente digeridas, devido à fermentação. Sendo as melhores opções os iogurtes naturais podemos e devemos adoçá-los com fruta ao natural cortada aos pedaços; puré de fruta; flocos de cereais; frutos oleaginosos picados ou ralados (nozes, amêndoas, avelãs), canela; coco ralado; fruta desidratada, raspas de chocolate negro com elevada percentagem de cacau,entre outros". 

Posto isto, percebi que 1) estou a dar os iogurtes "errados" ao Duarte (shame on me) e que 2) temos trabalho para um próximo post, onde vamos indicar as melhores opções de compra no mercado. Parece-vos bem? A mim parece-me muito útil, tendo em conta que é um produto de consumo diário.

Beijos,

2 comentários

  1. Olá Raquel. Ouve-se tanta coisa que uma pessoa já nem sabe o que comer realmente. Já ouvi falar que os iogurtes naturais também têm açúcar e que "os melhores" são os magros -30% ou -50% gordura. Era excelente falar disso. Apesar de não ter filhos, acho que é um tema que acaba por ser global. Obrigada beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Óptimo tema. A minha filha é alérgica à proteína do leite de vaca (e como também sempre consumimos iogurtes naturais ou gregos sem açúcar), então opto pelos iogurtes bio da Provamel natural sem açúcar ou então Iogurte coco natural bio e que acrescento pedaços de fruta. beijinhos ;)

    ResponderEliminar