0

#LOVE IN A BOX - PORQUE AMAR TAMBÉM É DAR!

29 novembro 2016



Gosto de incutir a pegada solidária no Duarte e no Natal é quando mais lhe transmito esses valores, não que no resto do ano não o façamos, mas nesta altura do ano é quando as ações que nos rodeiam estão mais focadas na “ajuda ao próximo” e é quando temos acesso a mais materiais de apoio e incentivo. O ano passado "adotámos uma criança" na ação dos CTT “Transforme um desejo em realidade”, no verão apoiámos os bombeiros com a compra do Livro “As profissões de um Bombeiro” e recentemente contribuímos para a Missão Pijama.


Já manifestei também este ano a minha intenção de reduzir a oferta excessiva de brinquedos na época natalícia pois tenho receio que o Duarte do amanhã pense que na vida tudo é fácil de obter. É preciso não nos deslumbrarmos com tanto consumismo para eles pois corremos o risco de estarmos a criar os adultos egoístas do amanhã. 


Ontem estive na Zippy no lançamento da 3ª edição da “Love in a Box”, a caixa que já é um presente e esta é sem dúvida uma das causas com que mais me identifico e que dão, para mim, sentido à essência do Natal - a partilha. Trata-se de uma caixa embrulho que já está disponível nas lojas da marca e cujo valor de venda reverte a favor da Cruz Vermelha Portuguesa.


A “Love in a Box” é um embrulho em forma de caixa, que pode ser adquirida pelo preço simbólico de 1€ (caixa pequena) e 1,5 € (caixa grande), em todas as lojas Zippy. Por cada caixa vendida, 0,50€ revertem a favor da Cruz Vermelha. O total do valor angariado será convertido em artigos de puericultura – como carrinhos, alcofas, berços, camas, parques, cadeiras de refeição e de repouso –, roupa para bebés e crianças, e brinquedos. 


Além do valor angariado, a Zippy convida também todas as famílias a doarem um presente – um brinquedo, peça de roupa ou artigo de puericultura – dentro de cada caixa adquirida, estimulando a solidariedade entre os mais novos. A entrega destas caixas deverá ser efetuada numa loja Zippy, num contentor "caixa de correio" localizado nas lojas para o efeito, para posterior entrega à Cruz Vermelha Portuguesa, que ficará encarregue de distribuir os presentes de acordo com as necessidades identificadas na sua rede. 


O Duarte já começou a pintar a caixa solidária dele e hoje vamos escolher o presente que ele quer doar. O desafio está lançado a todas as crianças e sobretudo aos educadores: vamos ensinar-lhes a fazer a diferença junto de quem mais precisa? 





Beijos,

Sem comentários

Enviar um comentário